sexta-feira, junho 29, 2007

Passeio pedestre "Trilho dos Miradouros" no dia 1 de Julho de 2007 na Arriba Fóssil de Esposende, no âmbito das "Caminhadas no Litoral Minhoto"

Clicar na figura para aceder a mais Informações


Passeio pedestre "O Vale da Calada", dia 1 de Julho, em Almargem do Bispo, Sintra

Almargem do Bispo recebe o próximo passeio pedestre organizado pelo Sintraventura, que se realiza no dia 1 de Julho, Domingo, às 9h00.

Com concentração em Almargem do Bispo, o passeio com uma duração de três horas, e cerca de 10 km de extensão, passa por locais como Olelas e Pêro Pinheiro.

Como é habitual, os interessados poderão inscrever-se neste passeio através da Divisão de Desporto (tel. 21 922 67 20). O custo de participação é de 2.60 Euros.

Fonte: Câmara Municipal de Sintra


Passeio pedestre na Lagoa de Albufeira, em Sesimbra, dia 7 de Julho

Inserido nas acções de educação ambiental promovidas pela Câmara Municipal de Sesimbra, no âmbito do projecto Bandeira Azul, realiza-se no dia 7 de Julho, sábado, um passeio pedestre com observação de aves na Lagoa Pequena, na Lagoa de Albufeira.

A actividade é acompanhada por elementos do Centro de Estudos e Interpretação da Lagoa de Albufeira e da Sociedade Portuguesa de Estudo de Aves.

A Lagoa Pequena e a Lagoa da Estacada, terrenos alagados imediatamente a montante, são espaços mais sensíveis do ponto de vista ecológico na Lagoa de Albufeira.

Esta zona húmida é, para várias espécies do Anexo I da Directiva das Aves (Garça-vermelha, Ardea Purpúrea, Garçote Ixobrychus minutus, Garça-branca, Egrette Grazetta e Camão Porphyrio porphyrio) um dos cinco sítios mais importantes na Europa, dado o papel determinante que desempenha na circulação entre áreas de nidificação.

A Lagoa de Albufeira é uma Zona de Protecção Especial (Directiva Aves 79/409/CEE e Decreto-lei n.º 384-B/99, de 23 de Setembro) e um sítio incluído na lista Nacional de Sítios Rede Natura 2000 (directiva Habitats 92/43/CEE e Resolução do Conselho de Ministros n.º 76/00, de 5 de Julho).

A Lagoa Pequena é também uma zona húmida de importância internacional incluída na Lista da Convenção de Rasmar.


Inscrições e informações:
Posto de Turismo de Sesimbra
Telefone: 21 228 85 40

Fonte: Câmara Municipal de Sesimbra

Inauguração da Rota dos Poços em Manhouce (concelho de São Pedro do Sul), dia 1 de Julho, no âmbito do Projecto Criar Raízes.

"O Projecto Criar Raízes promove a inauguração da Rota dos Poços no próximo domingo, 1 de Julho, em Manhouce, concelho de São Pedro do Sul.

Como promotor de inclusão e desenvolvimento, o projecto tem procurado dar resposta a problemas do concelho, nomeadamente o despovoamento das aldeias mais periféricas de São Pedro do Sul. A loja Terras de São Pedro do Sul (nas Termas), o Cabaz e a CoopRaízes-Cooperativa de Produtores das Terras de São Pedro do Sul são disso exemplo. Mas as dinâmicas sócio-culturais, que possam potenciar novas perspectivas para o futuro, exigem a exaltação de “produtos imateriais” da serra, as riquezas naturais, da terra, da cultura, das tradições, das pessoas para as pessoas, lançando novos caminhos.

Surgem, assim, os programas Cinema nas Aldeias, trazendo e devolvendo um olhar (do) exterior, e os Ritmos da Terra, constituído por percursos pedestres temáticos, ligados aos ritmos das populações, sejam eles dos trabalhos agrícolas ou de lazer, da natureza, das estações, ou das colheitas.

Neste contexto, a rota a inaugurar domingo, em Manhouce, estende-se por um espaço privilegiado de lazer das aldeias: os poços e lagoas. Ao longo de três horas, do Poço Negro ao Poço da Silha, subindo o rio Teixeira (a que os antigos chamavam Rio Cabeçadas), pelo caminho do raião, acompanhados por pescadores. Depois da mini-hídrica, o percurso prossegue por um trilho de mais difícil acesso, com poços e cascatas e alguns antigos moinhos de pedra, passando pelo tapado do rio da Carvalha, pelo moinho dos herdeiros, o fundo da bouça e a funda da Pena de Uge..

Já no fim do dia, haverá então a estreia do Cinema nas Aldeias, em Manhouce com a exibição de três filmes sobre a sustentabilidade e a importância da água. Dois deles foram realizados num contexto pedagógico, um numa escola de Arouca e outro resultante de um trabalho conjunto entre jovens portugueses e galegos; o terceiro é sobre a comunidade piscatória da Carrasqueira e a sua relação com o rio Sado."

Fonte: Diário Beiras online-28-6-007

quinta-feira, junho 28, 2007

Neo-evolução das Áreas (des)Protegidas.


Acresço também este artigo

Mas como se pode depreende a evolução realidade é/será sempre demasiado simples.
1ª Fase. O estado não faz o mínimo de esforço que pelo menos lhe é exigido. Pelo contrário descarta-se sempre das responsabilidades com o robotizado pensamento: passar para a gestão de privados. Como para a generalidade destes a palavra Parques no seu dicionário assume um só sinónimo: ganhar o máximo de dinheiro, chega-se à 2ª fase e de presto à 3ª fase
2ª Fase. Só permanecem os Parques que dão lucro, os outros mais tarde ou mais cedo perdem a classificação passando só a área agrícola, florestal, etc. E o Estado tem de dizer ámen (senão, quem paga os cartazes?)
3ª Fase. Os parques que remanescem serão cada vez mais uma espécie de Palm Islands do Dubai, ou uma Sun City da África do Sul (para não dizer uma Disneylândia de Paris) que evoluem sobretudo em conformidade com os caprichos e interesses dos visitantes/clientes e não com toda a riqueza natural, ecológica, patrimonial e a bio-diversidade que encerram. Bem, será mais correcto afirmar não evoluem, regridem.

Mas como dizem, o cliente (das massas) é que tem sempre razão!

p.s: não tenho nada contra a gestão privada, apenas considero que certas áreas/organismos não devem passar a ser geridas por privados, até a sociedade assumir outro nível de desenvolvimento/maturidade.

Caminhadas virtuais pelo mundo fora


Os blogs sobre pedestrianismo/trekking/montanhismo, de fora de Portugal, que mais consulto, desde há alguns anos (excepção de LightHiker's World e “Modern Hiker” que são mais recentes):
  • Batish (Japão - blog desde Fev. 2000)



Websites Pessoais:

Junta de Freguesia de Louriçal (concelho de Pombal) aposta em percursos pedestres

A Junta de Freguesia de Louriçal (concelho de Pombal), através da sua comissão para o desenvolvimento turístico, em colaboração com um estagiário de Ecoturismo da Escola Agrária de Coimbra e com uma estratégia de futuro para consolidar o Louriçal num destino turístico ao nível concelhio, está a desenvolver uma rede de percursos pedestres que percorrerá toda a freguesia do Louriçal, sendo também objectivo deste projecto alargar esta rede a outras freguesia limítrofes.

Por ser um projecto de conservação da natureza e divulgação do património natural da freguesia do Louriçal, que aposta na promoção do turismo de natureza e no Ecoturismo, sensibilizando a população para a educação ambiental, é oportuno acreditar que este projecto tem potencial, no que concerne à intervenção em espaço público para um desenvolvimento económico e turístico da região. Os responsáveis do projecto, comissão para o desenvolvimento turístico do Louriçal, defendem que o "Dois Temperos" promoverá as visitas a esta região, quer por parte das populações locais ou regionais. É objectivo desta comissão organizar um leque de actividades diversificadas (concursos de fotografia, exposições ao ar livre, conferências, workshops, passeios com a família), de modo a dinamizar o espaço.

O primeiro percurso a desenvolver ligará a Fonte da Pedra (Outeiro do Louriçal) à Quinta do Seminário (Vinha da Rainha).

Para a realização deste projecto, este grupo de trabalho conta com o apoio do Corpo Nacional de Escutas - Agrupamento do Louriçal, o Clube de Caçadores do Louriçal a Câmara Municipal de Pombal e a Associação de Desenvolvimento Terras de Sicó. No entanto, a junta de freguesia de Louriçal gostaria de apelar a toda a população da freguesia no sentido de apoiar este projecto grandioso, antes e após a sua implementação, uma vez que um dos grandes problemas com que se depara a junta de freguesia aquando da criação desta rede de percursos é a manutenção dos mesmos.

Uma vez que se pretende que grande parte do percurso passe junto às margens do rio que atravessa a freguesia, a Junta de Freguesia alerta os proprietários ou possuidores de parcelas de leitos e margens de que devem mantê-las em bom estado de conservação, procedendo à sua limpeza e desobstrução.

Fonte: Jornal Regional 15-6-007

quarta-feira, junho 27, 2007

Passeio Pedestre na freguesia da Gâmbia (concelho de Setúbal), dia 1 de Julho, pela Secção de Pedestrianismo das Lebres do Sado

Passeio Pedestre na Gâmbia
(concelho de Setúbal)


Sábado 1 de Julho


Concentração: às 8,30 h - Pizzaria do Bonfim ou sede da Pluricoop na Terroa
9,00 h - Junto ao Parque de Campismo da Gâmbia

Este passeio está integrado no dia Mundial das Cooperativas. Iremos visitar o porto de pesca, a lota e as antigas estações de depuração de ostras. Sabia que a Gâmbia tem uma comunidade de quarenta pescadores? Sabia da existência de uma Lota criada há mais de vinte anos? E que as ostras eram uma das principais actividades económicas do estuário, nomeadamente nas Prais do Sado, Faralhão e Gâmbia?

O percurso tem cerca de oito kms acessiveis a todos. Os participantes como sempre devem levar roupa e calçado apropriado e água.

Não é necessário inscrição prévia, basta aparecer. Será certamente uma manhã bem passada em contacto com a natureza. Na visita será distribuído um texto alusivo ao local a visitar. Se tem dúvidas escreva-nos ou contacte directamente o senhor Manuel Sequeira ( 967822014), responsável pela actividade."

Fonte: Secção de Pedestrianismo da Associação de Atletismo Lebres do Sado

Passeio pedestre em Porto de Mós, dia 1 de Julho

O Centro Hípico de Alcaria irá realizar no próximo dia 1 de Julho, um passeio pedestre com inicio na Câmara Municipal de Porto de Mós ás 9h30h, tendo como destino o Centro Hipico em Alcaria, passando pelo Rio Alcaide.

Clicar para ampliar


Fonte: Câmara Municipal de Porto de Mós

Percurso Pedestre "Na Senda de Camilo" dia 30 de Junho, em Vilarinho da Samardã (Vila Real), pela "Sociedade Portuguesa de Incentivo ao Desporto"


Fonte a imagem: Sociedade Portuguesa de Incentivo ao Desporto (SPID)

Inaugurado o primeiro percurso pedestre do Município de Vila Franca do Campo (S. Miguel - Açores), dia 22 de Junho

A partir de Sexta-feira, 22 de Junho, Vila Franca do Campo (S. Miguel - Açores) passou a oferecer a quem nos visita um caminho pedestre de grande interesse turístico, é o caminho Monte Escuro-Largo do Município.

Uma iniciativa do Adjunto do Presidente, Dr. Gonçalo Dias, este é o primeiro trilho pedestre inaugurado pelo Município e embora ainda não disponha de sinalização (à excepção da placa inicial) já oferece condições a quem o quiser percorrer.

Características:
Tipo de piso: pé posto, caminho agrícola e calçada regional,
Extensão: 15 km
Tempo de percurso: cerca de três horas
Grau de dificuldade: médio

Clicar para ampliar


Com 15 km de extensão, o Trilho que liga o Monte Escuro à Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, é um dos mais completos da Ilha de S. Miguel, no que respeita à diversidade de Fauna e Flora e interesse Geológico.

Grande parte deste percurso fica situada na Reserva Natural da Lagoa do Fogo. O Vulcão do Fogo está situado na parte central da ilha de S. Miguel, inserindo-se no maciço de Agua de Pau, uma unidade geomorfológica que ocupa uma área de aproximadamente 150km e uma altura máxima de 947m.

Ao passarmos o Monte Escuro, e antes de avistarmos o Pico da Vela, à sua esquerda deslumbra-se com uma magnífica paisagem, onde a Lagoa dos Areeiros aparece como um pequeno vulcão adormecido, avistando-se o Pico da Vara como uma majestosa montanha que não passa despercebida no horizonte.

Clicar para ampliar

Após chegada ao marco geodésico, e antes de descermos para a Ermida da Senhora da Paz, poderemos optar por visitar o Pico da Vela.

Ao Pico da Vela está associada uma lenda contada pelos mais velhos, que provavelmente passou por várias gerações, que diz que os piratas que cá passavam, escondiam o que furtavam da população na zona onde se encontra este pico em forma de vela. A existência de várias marcas de pequenos trilhos à volta deste pico são uma constante, que supostamente foram criados por aqueles que antigamente iam apanhar as chamadas “levas” para colocar nas estufas do ananás.

Contornando o Pico da Vela, confrontamo-nos com uma paisagem lindíssima da Lagoa do Fogo.

Um dos pontos altos deste percurso é a vista que se consegue alcançar do Pico da Cruz para o Concelho de Vila Franca do Campo, onde é nítido o sector de ruptura provocado pelo sismo de 1522 que destruiu grande parte da primeira capital dos Açores até então. Chegando à Ermida da Senhora da Paz, deslumbre-se com a famosa vista para o Concelho de Vila Franca do Campo. Aí encontra-se um caminho de calçada regional, que nos vai direccionar para os Paços do Concelho com vários pontos de interesse turístico de visita obrigatórios.

O trilho foi inaugurado no âmbito do programa de festejos do Feriado Municipal São João da Vila 2007.

Fonte do texto e fotos: Câmara Municipal de Vila Franca do Campo


A
porpósito de Vila Franca do Campo , nesta cidade nasceu Bento de Goes, que empreendeu, entre 1602 e 1606, a maior viagem de sempre da exploração terrestre portuguesa e uma das maiores da história da humanidade. Esta viagem esta atravessou a Ásia, transpondo, entre outras formas de relevo, grandes sistemas montanhosos como os Pamires ou o Karakorum

terça-feira, junho 26, 2007

Mergulhar nas Estrelas - VII Marcha Nocturna do Grupo de Montanhismo de Vila Real, noite de 30 de Junho para 1 de Julho

Mergulhar nas Estrelas - VII Marcha Nocturna

Grupo de Montanhismo de Vila Real

30 de Junho a 1 de Julho
Local: Serra do Alvão

A data escolhida está muito próximo da fase de lua cheia. Por esse motivo a nossa companhia celestial não será uma abóbada celeste polvilhada de milhares de "diamantes" astrais. Se não houver nuvens, um magnífico luar irá proporcionar-nos caprichosas formas e sombras, algo fantasmagóricas, dos contornos montanhosos que esperam a nossa passagem. No final, já no nosso refúgio, uma pequena ceia que os participantes previdentemente levarão consigo, reconfortará os estômagos mais exigentes.

Clicar para ampliar

Programa
22:00 - Concentração e saída - Avª Carvalho Araujo - topo sul
23:00 - Início da marcha - refúgio de Arnal
00:30 - Chegada ao Alto do Vaqueiro
01:30 - Passagem no Ranhadouro
02:30 - Chegada a Arnal e ceia
03:30 - Regresso a Vila Real

Outras Informações
1. Inscrição gratuita;
2. Transporte é combinado com carros de participantes;
3. Não esquecer merenda reforçada para ceia;
4. Não esquecer roupa e calçado adequado;
5. Aconselhável levar binóculos

Contactos
info@grupomontanhismovr.com
Sede do GMVR - Parque Corgo
919001363
936626048
Casa Dias
Casa Terra Viva

Fonte do texto e cartaz: Grupo de Montanhismo de Vila Real

segunda-feira, junho 25, 2007

Passeio pedestre nocturno com lua cheia entre a Azóia e a Capela da Peninha (serra de Sintra), dia 30 de Junho, organizado pela Alagamares

"A Alagamares propõe-lhe uma bonita marcha nocturna, dia 30 de Junho, numa noite de luar, na vertente oeste da Serra de Sintra, entre o mar e a Capela da Peninha.

Começando a nossa marcha na povoação de Azóia, vamos subindo gradualmente tentando atingir um dos pontos com a vista mais bonita da Serra, a Capela da Peninha, local onde existiu uma pequena ermida para venerar a Sr.ª da Penha ou da Peninha, e onde mais tarde, nos finais do Sec. XVII foi erigida a actual Capela da Peninha onde poderemos avistar, se o tempo o permitir, toda a extensão do litoral, para sul, desde a Praia do Guincho até Lisboa, e para norte desde o Cabo da Roca até à Ericeira.Tempo ainda para admirar e falar da Anta de Adrenunes. Depois de gozarmos todo este panorama, será altura de regressar ao aconchego do Moinho e confraternizarmos com uns copitos...


Programa
19.15 – Concentração junto ao bar “Moinho”, a entrada da Azóia.
19.45 – Início da Actividade.
23.30 – Fim da Actividade.

Duração do percurso: 3.30 hora
Extensão: 12 km
Dificuldade: média,
Desnível: Aproximadamente 310 metros a subir e outros tantos a descer.

Percurso não indicado para crianças de idade inferior a 12 anos, bem como a pessoas que não possuam condição física adequada, podendo também participar animais domésticos.

Material obrigatório:
Utilização de uma lanterna ou frontal em devidas condições de utilização.


Inscrições:
As inscrições deverão ser concretizadas até à data limite de 27 de Junho
info@alagamares.net; Telemóvel 918343698;
Indicação do nome completo, Data de nascimento, Número do Bilhete de Identidade, Data de Emissão, Local de emissão, Número de Identificação Fiscal, Morada e Telemóvel.

Limite de Inscrições: Só serão aceites as primeiras 75 inscrições. Não será possível efectuar inscrição no local do passeio.

Observações:
A organização poderá cancelar ou alterar a actividade caso se verifiquem condições meteorológicas adversas.

Fernando Morais Gomes


Fonte:
Alagamares

Inauguração do Percurso dos Espigueiros, dia 14 de Julho, na aldeia de Vilarinho de S. Luís (freguesia de Palmaz - Oliveira de Azeméis.),

Dia 14 de Julho de 2007 terá lugar a inauguração do Percurso dos Espigueiros, o 1º percurso pedestre do Município de Oliveira de Azeméis.

Este percurso marcado nos dois sentidos segundo as normas nacionais e internacionais, e o primeiro concebido e marcado pelo grupo Andar, será inaugurado pela 14h45 na aldeia de Vilarinho de S. Luís.

O percurso pedestre de interesse ambiental e etnográfico, desenrola-se dentro da aldeia de Vilarinho de S. Luís (freguesia de Palmaz), na área agrícola e florestal circundante. É o lugar mais distante da sede do concelho e devido à sua situação geográfica, o mais isolado. A aldeia é caracterizada por traços de ruralidade, por uma agricultura de subsistência em torno do milho, da vinha e dos recursos florestais. Tem nos seus muitos espigueiros os objectos “eruditos”, a que nos propomos dar a conhecer um pouco.


Clicar para ampliar


Ficha Técnica do percurso:
Percurso circular
Local de partida e chegada: Vilarinho de S. Luís (largo junto
à estrada à entrada da aldeia)
Distância a percorrer: ± 4,7km
Altitudes: início do percurso (240m), ponto mais alto (365m), ponto
mais baixo (210m).
Grau de dificuldade: baixo,
Pode ser efectuado todo o ano

Qualquer outra informação adicional ou dúvida contactar Paulo Costa através do correio electrónico geral@andar.cc ou pacc@portugalmail.pt

Fonte do texto e cartaz: grupo Andar [Paulo Costa]

Rede de Percursos Pedestres de Alfândega da Fé

No concelho de Alfândega da Fé podemos encontrar inúmeros áreas naturais na serra de Bornes (1200 metros de altitude), na Serra de Gouveia, no vale do rio Sabor ou no Vale da (Ribeira da) Vilariça.

Recentemente foi implementada neste concelho uma rede de percursos pedestres:
  • Trilho da Serra de Bornes
  • Trilho de Vilares da Vilariça
  • Trilho de Gouveia
  • Trilho do Sabor


Para mais informações sobre estes percursos clicar aqui

Fonte: Câmara Municipal de Alfândega da Fé

Alentejo poderá ter 500 kms de ecopistas até final de 2013


"O Alentejo poderá vir a ter, até final de 2013, uma rede de ecopistas com um total de cerca de 500 quilómetros, resultante do aproveitamento de ramais férreos, estradas desactivadas e percursos rurais de ligação, foi hoje revelado.

O cenário foi traçado à agência Lusa por Francisco Sabino, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), à margem de um workshop que decorreu hoje em Évora.

O encontro, subordinado ao tema "Plano de Ecopistas na Região do Alentejo - Mobilidade, Turismo e Desenvolvimento Sustentáveis e Valorização do Território", foi organizado pela CCDRA e pela Rede Ferroviária Nacional (REFER). Promover e divulgar o Plano Nacional de Ecopistas (PNE) da REFER, com destaque para o Alentejo, e promover e divulgar o património edificado nas linhas ferroviárias desactivadas foram os principais objectivos da iniciativa.

Francisco Sabino, orador no workshop, deu conta do Esquema Director de Corredores Verdes que a CCDRA quer implementar, durante o actual período de fundos comunitários (2007/2013), para criar uma rede de ecopistas, em via-férrea, antigas estradas e outros percursos de ligação. «Se os projectos forem aprovados e depois de concluídos, no final de 2013, poderemos ter na região cerca de 500 quilómetros em ecopistas», frisou à Lusa, à margem da sua intervenção.

Actualmente, no Alentejo, esse tipo de percursos não motorizados, onde se pode andar a pé, de bicicleta, em patins ou a cavalo, já está implementado em Évora, em cerca de 70 quilómetros. Neste município, encontram-se em utilização uma ecopista no antigo ramal ferroviário para Mora, que está feita até ao limite do concelho de Arraiolos, e percursos ambientais na Serra do Monfurado e entre as freguesias dos Canaviais e Bacelo. «No caso do ramal de Mora, a ideia é esticar a ecopista até esse concelho e, neste momento, estão trabalhos em curso», afiançou o técnico da CCDRA.

Montemor-o-Novo também quer instalar uma ecopista no ramal de ligação à Torre da Gadanha e, até 2013, acrescentou, a proposta passa por realizar aproveitamentos do género nos ramais de Estremoz e de Évora para Reguengos de Monsaraz.

«Espero que as autarquias tomem em mão esta tarefa que me parece extremamente gratificante e com interesse para a região», sublinhou, destacando que o turismo rural, de natureza ou activo pode ser fomentado na região, possuidora de um rico património natural e cultural. A par das vias-férreas desactivadas, Francisco Sabino revelou ainda que a antiga Estrada Nacional 18 (EN18), paralela ao IP-2, entre Évora a Beja, também poderá ser aproveitada como ecovia, permitindo ligar S. Manços (Évora) até Castro Verde (distrito de Beja). «O que teria também a vantagem óbvia de funcionar como espinha dorsal para o Alqueva», salientou, alertando as autarquias para apresentarem as candidaturas numa lógica «inter e supra-municipal», para mais facilmente serem aprovadas para apoios comunitários.

Por seu turno, Luís Silvestre, da REFER, lembrou que a rede nacional de ecopistas em vias-férreas desactivadas integra a Rede Verde Europeia para o Mediterrâneo Ocidental, em criação, para ligar o Sul de Portugal ao Sul de Itália. No caso português, dos 710 quilómetros de canais ferroviários desactivados elegíveis para o PNE, 58 quilómetros, em cinco zonas diferentes, são já utilizados como ecopistas e a REFER tem protocolos com municípios para o aproveitamento de um total de 449 quilómetros."

Percursos Pedestres da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo

Entre os múltiplos percursos pedestres recentemente adicionados, destaque para os Percursos Pedestres da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo (concelho de Macedo de Cavaleiros):
  • Trilho dos Caretos
  • Corredor Verde de Vale de Prados
  • Trilho Ricardo Magalhães
  • Trilho dos Fornos
  • Trilho dos Quercus
  • Ciclovia do Azibo
Para mais informações sobre estes percursos clicar aqui

domingo, junho 24, 2007

Caminhada nocturna "Via Algarviana à Noite", no concelho de Loulé, dia 30 de Junho,


"No próximo dia 30 de Junho, irá decorrer mais uma actividade da Via Algarviana, desta feita uma caminhada nocturna entre Benafim e Alte, no concelho de Loulé, denominada "Via Algarviana à Noite", sob o olhar sereno da lua cheia, seguida de uma retemperada ceia.

O percurso inicia-se na igreja de Benafim pelas 21h30 e desenvolve-se pelo traçado desta Via até Alte, num total aproximado de 6 km. Aí, a aventura nocturna termina com uma ceia no Alcafé, onde haverá oportunidade de provar a gastronomia tradicional da região.

Material: calçado de marcha (imprescindível), Lanternas, bastões (opcional).

As inscrições estão abertas até ao dia 29 de Junho às 17.30h através da Associação Almargem. Todos interessados poderão participar, bastando para isso inscreverem-se junto da Almargem. A coordenação desta actividade é de Sónia Guerreiro. Mais informações em www.viaalgarviana.org ou através do telef 289 412959

Via Algarviana é um projecto financiado pelo PROALGARVE, Eixo 2 – Medida 1, que tem como objectivo a instalação de um percurso pedestre entre Alcoutim e Vila do Bispo, passando pelo interior do Algarve e procurando contribuir para o seu desenvolvimento integrado e sustentável. É apoiado pela AMAL e por várias autarquias da região."


Fonte: Via Algarviana - 4-7-007

Passeio pedestre "Trilho dos Miradouros" no dia 1 de Julho na Arriba Fóssil de Esposende, no âmbito das "Caminhadas no Litoral Minhoto"

Passeio pedestre "Trilho dos Miradouros" no dia 1 de Julho de 2007 na Arriba Fóssil de Esposende

Tipo de Percurso: Trilho circular
Local de Inicio e Final do Percurso: Capela de St António (no centro de Palmeira de Faro)
Hora de Partida: 9h35
Distância percorrida: 14 km
Duração aproximada: 5 horas
Grau de dificuldade: Fácil/Moderado

No âmbito do programa "Caminhadas no Litoral Minhoto" que decorrem no 1º Domingo de cada mês vai-se realizar no dia 1 de Julho o passeio pedestre "Trilho dos Miradouros" que decorrerá na Arriba Fóssil de Esposende.

Este percurso terá o seu início no adro da Capela de St António, no centro da povoação de Palmeira de Faro (concelho de Esposende), pelas 9h35. Subir-se-á até ao cimo do Monte de Faro, aonde se avista uma impressionante paisagem do oceano Atlântico e toda a zona costeira entre Esposende e Póvoa de Varzim, a sul, e o Bom Jesus de Braga, a este. Em alusão à toponímia, em tempos possivelmente medievais, no cimo do monte de Faro existiria um farol (ou faro), que guiaria os navegantes pelo alto-mar. Em algumas das vertentes deste monte também existem pequenas minas que apenas foram exploradas durante a IIª Guerra Mundial em busca do volfrâmio.

Deixando o Monte de Faro prosseguir-se-á pelo coberto florestal até ao Castro de S. Lourenço. Este aprazível castro, cuja primeira ocupação data de meados do IIIª milénio A.C. foi sendo habitado ao longo dos séculos de modos diferentes, como o atesta as suas habitações com formas e materiais diversos. Algumas das casas foram reconstruídas no final do séc. XX. Junto, uma capela, já mencionada em registos do séc. XVI (mas que entretanto foi bastante alterada), rodeado por uma muralha, possibilita-nos usufruir de uma bela panorâmica da costa atlântica de Esposende e do estuário do rio Cávado.

Sair-se-á então em direcção à povoação da Abelheira, passando pela ribeira de Peralta, visitando à frente a "Mamoa da Portelagem", um dos mais importantes dólmenes nesta região, onde se apresentam tão comuns. Pouco depois chegamos aos pitorescos moinhos de vento e azenhas da Abelheira, dispostos como que em cascata sobre a encosta. Conforme o número e tipo de participantes existe ainda a possibilidade de se visitar o miradouro e capela de Nª Senhora da Paz, na proximidade. Regressamos então até ao castro de S. Lourenço, onde aí podemos desfrutar de uma ampla área de lazer nas imediações, permitindo assim aos participantes almoçar e descansar de modo tranquilo. Já com as forças restabelecidas regressamos à povoação de Palmeira de Faro, onde o percurso finaliza.

O "Trilho dos Miradouros" é um trilho circular de extensão de cerca de 14 km com um tempo estimado de 5 horas (incluindo o almoço). O seu nível de dificuldade é fácil/moderado. A participação é livre e gratuita.

Inscrições gratuitas (não incluem seguro, transporte e almoço, devendo os participantes levar almoço volante):
pedestrianismo@gmail.com
verdeminho@gmail.com

Recomendável levar botas de montanha, roupa adequada e bastante água.


Como chegar a Palmeira de Faro:
a) para quem vem pela A28 de norte ou sul do concelho de Esposende
Sair na saída que menciona Esposende. Seguir em direcção à cidade de Esposende. Logo que chega à 1ª rotunda (cerca de 1km depois) vira-se logo na 1ª à direita, aonde menciona "Zona Industrial". Depois segue-se duas ou três centenas de metros até entrocar com a estrada nacional Esposende-Barcelos/Braga. Aí vira-se à direita em direção a Barcelos/Braga e cerca de 1km depois passa-se por baixo da A28 e uns duzentos metros depois surge logo a 1ª entrada à esquerda para o centro de Palmeira de Faro. Entra-se nessa rua e segue-se sempre em frente até chegar à capela de St António, no centro de Palmeira de Faro.
Aqui podem consultar um mapa com o percurso atrás enunciado a linha amarela



As "Caminhadas no Litoral Minhoto" que se realizam no 1º Domingo de cada mês pretendem percorrer algumas das áreas mais naturais dos concelhos de Caminha, Esposende, Viana do Castelo e Vila do Conde, passando por espaços como a Arriba Fóssil de Esposende, a serra de Santa Luzia, a Reserva Ornitológica de Mindelo, a costa do concelho de Esposende e de Viana do Castelo, ou a foz do Rio Minho, evidenciando que no litoral ainda existem espaços naturais que merecem uma constante visita e usufruto. Estas caminhadas são organizadas pelo blogue "Pedestrianismo e Percursos Pedestres" (http://pedestrianismo.blogspot.com) e pelo Grupo de Caminhadas VerdeMinho (http://verdeminho.blogspot.com).

Clicar para ampliar


Saber mais sobre as "Caminhadas no Litoral Minhoto"

sexta-feira, junho 22, 2007

Ecopista de Valença-Monção vai ser ampliada para a Galiza e também no concelho de Valença

Maioria dos utilizadores da ecopista de Valença-Monção são galegos.

"?i los propios gobiernos locales de Valença y Monçao, quehace tres años pusieron en funcionamiento la ecopista que les unió físicamente, podían prever la aceptación que iba a tener esta nueva infraestructura. Fue un proyecto pionero en el país luso que gozó del mejor respaldo de la ciudadanía. Miles de personas disfrutan de esta «vía verde» cada semana y los gallegos, que suman más del cincuenta por ciento de sus usuarios, la frecuentan especialmente los fines de semana.

Conscientes del revulsivo social, económico y patrimonial de la iniciativa, los dos municipios lusos ponen ahora en marcha una nueva fase del proyecto. Monçao licitará este mes la ampliación del paseo hasta el puente internacional que une la localidad con Salvaterra do Miño. «Os espanhóis são os principais utilizadores da ecopista e este será mais um motivo para que visitem a nossa região», argumentó el alcalde de Monção, José Emilio Pedreira Moreira, impulsor de la iniciativa.

El proyecto prevé la construcción de otros cuatro kilómetros de paseo, completando así un recorrido total de 17. El presupuesto de esta fase, que deberá estar lista para entrar en funcionamiento antes de fon de año es de 350.000 euros que, unidos a la inversión realizada hasta ahora, ha supuesto un desenbolso toral de 1,1 millones de euros.

La "vía verde", que discurre por la ribera del Miño une las dos localidades lusas desde hace tres años y fue diseñada sobre la antigua vía del tren. El proyecto posibilitó la habilitación de un vial de seis metros de ancho para el paseo peatonal y ciclista y, a la vez, la puesta en valor de un emblemático espacio de alto valor paisajístico y de los apeaderos que habían quedado fuera de servicio.

Los usuarios disfrutan además de zonas de descanso y privilegiados miradores sobre el Miño. La ecopista dispone, por otra parte, de un centro de interpretación localizado en Valença, en la zona de Ponta Seca. Este servicio ofrece información detallada del itinerario así como de los principales puntos de interés para el visitante. El mismo espacio permite también profundizar en la historia del ferrocarril en Portugal. Un medio de comunicación que jugó un papel determinante en el desarrollo del país y en el que se escribieron significativos capítulos de las décadas del siglo pasado que escribieron juntas las dos riberas fronterizas del Miño, marcadas por el contrabando y la emigración clandestina.

La línea que unía Valença y Monçao fue testigo de excepción de muchas de esas despedidas y encuentros, desde que entró en funcionamiento en 1875, hasta que perdió su actividad, 114 años después.

Valença también ampliará la ecopista hasta el paseo fluvial de Nosa Senhora da Cabeza, donde se ubica un gran parque, con instalaciones náuticas para la práctica deportiva, restaurante y varios miradores muy frecuentados."

Mónica Torres

Fonte: La Voz de Galicia -22-6-007

O facto de a maioria dos utilizadores da ecopista de Valença-Monção serem galegos não e´caso único pois os percurso pedestres do concelho de Paredes de Coura também são mais percorridos por galegos que portugueses.

Quem está inocente que atire a primeira pedra…


Transcrito do blogue "Carris":

"Com o intuito de fazer estas Caminhadas Históricas foi enviada ao Parque Nacional da Peneda-Gerês uma relação das caminhadas que pretendia levar a cabo. Duas destas caminhadas previam a limpeza por grupos de voluntários do lixo existente por entre as ruínas das casas dos Carris. Infelizmente, tais caminhadas não são autorizadas pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês pois o percurso está localizado na Área de Ambiente Natural, nas Zonas de Protecção Parcial (ZPP) e Total (ZPT), pelo que, nos termos do Plano de Ordenamento do Parque, não são permitidas as actividades propostas...

Apesar de não concordar com a imposição do Parque Nacional da Peneda-Gerês, decidi cancelar todo o programa de caminhadas previsto. Este cancelamento tem acima de tudo a ver com o facto de não querer colocar em situações incómodas aqueles que pretenderiam participar nestas caminhadas e este blogue nunca será o primeiro a não acatar uma recomendação do Parque Nacional da Peneda-Gerês que por norma diz não autorizar este tipo de actividades." [fim de transcrição]


Isto das caminhadas organizadas no PNPG é daqueles pequenos assuntos que ninguém quer falar (um tabuzinho). O órgão de gestão do PNPG 'diz' -façam, façam as caminhadas organizadas desde que não nos digam nada, que a gente olha para o outro lado e até tapa os ouvidos.- Expressando isto não pretendo ostensivamente criticar a posição assumido pelo órgão de gestão do PNPG que para qualquer instituição/pessoa seria sempre incómoda/desconfortável de assumir e defender, e que não foi decretada apenas por eles.

Há uns anos atrás, se não estou em erro, em finais de 2001 ou princípios de 2002, andava a ajudar a delinear/marcar no terreno aquele que é hoje o PR Trilho dos Currrais, no gerês. Quem coordenava, na altura, essa tarefa era um funcionário/guia do parque, e eu também colaborei através (do entretanto extinto [!]) clube NHA, de Braga. Lembro-me que, num dia em conversa informal ele enunciou um imenso rol de lugares aonde era proibido realizar actividade de escalada ou rappel, bem como zonas para caminhadas organizadas. Na altura pensei (aliás, o que sempre pensei e ainda o faço, sobre isto): mas quantas pessoas atendem efectivamente a isto? Sim, a começar por um número relevante de funcionários das instituições, órgãos de gestão dos municípios, associações, etc. que se situam dentro da área do Parque, e depois, fora dele, uma miríade de clubes de montanhismo, empresas de desporto-aventura, e porventura até funcionários do próprio Parque!
Quem está inocente que atire a primeira pedra…


Bem, num futuro-breve quando as caminhadas no PNPG forem a pagar, aí a conversa já vai ser diferente...

Inaugurada ecopista "Várzea da Rainha", entre Óbidos e a Lagoa de Óbidos (8km), no dia 5 de Junho

O Dia do Ambiente, que se comemora a 5 de Junho, serviu de mote para a inauguração de ecopista "Várzea da Rainha", com uma extensão de oito quilómetros, que liga a vila à Lagoa de Óbidos.

Autarcas, funcionários da autarquia e jornalistas foram os primeiros a experimentar a ecopista Várzea da Rainha. Na viagem inaugural, em bicicleta, o percurso começou junto ao Posto de Turismo, continuando pela Rua Direita, descendo a encosta do castelo até encontrar o Rio Arnóia. Seguiu-se um percurso pela rota do rio, em permanente contacto com a natureza, onde se destacam as terras cultivadas e as árvores, até ao final do percurso, no Arelho, onde o Rio Arnoia chega à Lagoa de Obidos.

O objectivo desta iniciativa foi a de estimular os cidadãos a usufruir não só do património construído que Óbidos têm para oferecer, como do seu património natural e paisagístico. Nesse sentido existem já uma série de serviços, como o aluguer de charretes e de cavalos, ou agora de bicicletas, que permitem aos visitantes conhecerem outros locais.

Os utilizadores da ecopista que não tenham alojamento em Óbidos poderão utilizar os balneários das piscinas municipais para tomar banho e mudar de roupa. “A estrutura já existe não faria sentido não a disponibilizar, não só ao público que vai nadar como a quem vai andar de bicicleta”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Óbidos, Telmo Faria.

Nos oito quilómetros a que corresponde o percurso foi feita uma intervenção “ligeira” ao longo do Rio Arnóia, resultado dos trabalhos de limpeza deste rio após as cheias de 2006. Esta intervenção “permitiu que a mota fosse consolidada com muita vegetação e o que fizemos foi cortá-la e limpar os detritos”, disse o autarca, garantindo a manutenção da ecopista, através de cortes sucessivos da verdura existente.

Este caminho fica disponível para as bicicletas e também para caminhadas a pé, estando interdito a qualquer veículo motorizado. Levará agora informação nesse sentido, assim como a vedação do acesso, nomeadamente a moto quatro e a carros

Ao longo da ecopista haverá também alguns bancos, colocados junto às árvores existentes para as pessoas descansarem. Há também a intenção de plantar mais árvores de modo a segurar a mota do rio, o que virá não só cumprir uma função de segurança da linha de água como a permitir um maior ensombramento ao próprio caminho.

Além da ecopista Várzea da Rainha a autarquia de Óbidos oferece ainda outros percursos pelo meio da natureza. “Neste momento há área para se poder andar com segurança desde a barragem do Arnóia até à Lagoa de Óbidos”, referiu Telmo Faria, acrescentando que existem outros percursos, como o de seis quilómetros, entre a Amoreira e o Arelho, junto ao Rio Real.

Este percurso agora inaugurado irá ligar à ciclovia que será feita em torno da lagoa pelo Instituto da Água (INAG). As obras, incluídas na Requalificação das Margens da Lagoa de Óbidos já começaram na Foz do Arelho e deverão estar concluídas dentro de 10 meses.

Houve também já conversações com a Câmara Municipal do Bombarral no sentido de fazer um circuito desde o Bombarral à Lagoa de Óbidos, junto ao Rio Real. “Já fizemos trabalhos de limpeza até junto à Roliça e temos os dois rios que atravessam Óbidos a poderem ser vias de vivência e a funcionar como área de excelência a quem quer passar uns dias na região”, explicou.

A Câmara de Óbidos está a dar especial destaque ao ambiente, com projectos como o de redução de carbono, “Carbono Social”.

Fátima Ferreira

Fonte: Gazeta das Caldas -10--6-007

Passeio Pedestre "Costa Atlântica" organizado pelos Caminheiros da Portela, nos concelhos de Torres Vedras e Mafra, dia 7 de Julho


Passeio Pedestre "Costa Atlântica"

Dia 7 de Julho

Local: Desde Assenta até aos Coxos; concelhos de Torres Vedras e Mafra

Horário: Partida às 7:30h, junto dos Bombeiros, na Portela - Chegada cerca das 18h

Percurso/Grau de dificuldade: Para esta actividade procurou-se uma zona em que habitualmente a temperatura ambiente é mais amena, mesmo nesta época do ano. A caminhada decorre de Norte para Sul, entre a praia da Assenta e a praia dos Coxos, dando continuidade ao percurso da 233ª caminhada, em Julho de 2003, que teve início na foz do Falcão e terminou nos Coxos.

O percurso reveste beleza paisagística, inicialmente por arribas, com vistas para o mar, até perto da Calada. Passa-se depois uma zona campestre, de colinas, sobranceiramente ao vale da ribeira das Maias, atravessando a povoação de Casais de S. Lourenço e seguindo até à foz do rio Safarujo. Passa-se a praia de S. Lourenço e segue-se, junto à costa, um pequeno percurso de ida e volta (1200m) à praia dos Coxos. Em S. Lourenço, no final da caminhada, estará o autocarro com as bagagens (toalha, fato de banho, monoquini etc.) e haverá um período para permanecer na praia: descansando, banhando ou tagarelando. O autocarro transporta-nos ao restaurante onde o almoço terá início cerca das 14h.

A caminhada desenvolve-se em progressão e tem uma extensão aproximada de 10 km. Com excepção para a passagem da povoação de Casais de S. Lourenço, o percurso decorre em caminhos e trilhos de terra e o declive é pouco acentuado, considerando-se de dificuldade média/baixa. Pede-se especial cautela no ponto B, em que se atravessa a estrada 247, bastante movimentada.

Alimentação: aconselha-se o transporte de água e de algum alimento ligeiro para ingerir durante a caminhada. O almoço decorrerá no restaurante Golfinho Azul e a ementa será à base de produtos do mar, com um custo de 18 Euros por pessoa.
Nota: os participantes que não desejarem o almoço no restaurante, terão que o declarar no acto da sua inscrição.

Inscrições limitadas, através do telefone 21 984 87 08 até ao dia 5 de Julho. Para qualquer esclarecimento contactar o prof. Manuel Silva pelo 919 252 838.

Organização: Caminheiros da Portela - Clube da Natureza
Apoio: Câmara Municipal de Loures


Fonte: Câmara Municipal de Loures

Passeio pedestre "À Descoberta do Património Natural de Belas", em Sintra, dia 23 de Junho

"Na sequência do sucesso dos anteriores continuamos a organizar passeios pedestres, em parceria com o Sintraventura, para a descoberta das maravilhas naturais da Serra da Carregueira. Esta serra, situada na freguesia de Belas, em Sintra, é uma das mais importantes zonas naturais do Concelho de Sintra e da Região de Lisboa, concentrando mais de 15% dos Habitats da Rede Natura identificados em território nacional.

Este passeio pedestre levar-nos-á através dos surpreendentes vales onde passam o Rio Jamor e a Ribeira de Belas, permitindo-nos a observação de paisagens naturais de rara beleza. Pelo caminho iremos também vislumbrar palacetes e monumentos que testemunham como a Vila de Belas foi capaz de rivalizar com Sintra, em nobreza e beleza. Um passeio a não perder!


Início: Jardim de Belas (Coreto)
Hora: , 9h00
Duração: 3 h,
Extensão: 8 km

Organização: Associação Olho Vivo com apoio do Sintraventura - Divisão de Desporto da Câmara Municipla de Sintra

Clicar para ampliar

Inscrições limitadas
Inscrições pelo Tel. 21 435 3810 ou on-line em passeios.olhovivo@gmail.com , com indicação do nome completo e data de nascimento para efeitos de seguro de participante, de 30 de Abril a 03 de Maio.
Custo: Sócios - 3 € Não Sócios - 5 €

Fonte do texto e cartaz: Associação Olho Vivo

Passeio Pedestre Nocturno no Alandroal, dia 6 de Julho

Alandroal - Passeio Pedestre Nocturno

Dia 6 de Julho de 2007

Local Concentração: Igreja da Consolação
Hora Concentração: 20h30m
Distância: 6 km
Grau de Dificuldade: Fácil

Clicar para ampliar

Inscrições:
Posto de Turismo de Alandroal 268 44 00 45
Posto de Turismo de Terena 268 45 61 02

Fonte do texto e imagem: Câmara Municipal do Alandroal

Caminhadas em Julho de 2007 em Sintra


Caminhadas em Julho em Sintra


Organização: Câmara Municipal de Sintra



Dia 1 – Passeio Pedestre “O Vale da Calada”
Extensão do percurso: 10 Km
Concentração: Almargem do Bispo
Hora: 9h
Duração: 3 horas
Locais de passagem: Almargem, Olelas, Pêro Pinheiro



Dia 29 – Passeio Pedestre “A Serra de Monfirre”
Extensão do percurso: 10 Km
Concentração: Covas de Ferro
Hora: 9h
Duração: 3 horas
Locais de passagem: Covas de Ferro



Informações/Inscrições:

Contactos:
Câmara Municipal de Sintra
Divisão de Desporto, Rua das Eiras, nº34 2725-Mem Martins
Tel: 21 922 67 20 Fax: 21 922 67 28

- As inscrições poderão ser por telefone
- Incluir: Nome completo, Número BI ou Carta Condução, telefone para contacto
Custo: 2,60 euros por participante. O pagamento é feito no dia do passeio, no início da actividade.

Prazo de inscrições:
Início: 2ª feira antes da actividade
Fim: 5ª feira antes da actividade

Limite de inscrições
De 40 a 80 participantes pedestre ou BTT, dependendo de cada percurso

Fonte: Câmara Municipal de Sintra

Passeio Pedestre “Rota das Bicas” em Benavente, dia 24 de Junho

Passeio Pedestre “Rota das Bicas” em Benavente

Dia 24 de Junho


Local de Concentração: Largo do Calvário, em Benavente – 8h30m
Distância: +/- 9 Kms
Rota: Zona Ribeirinha de Benavente – Vala Nova – Zona Ribeirinha Benavente - Bicas – Camarinhais – Vila das Areias – Bicas – Zona Ribeirinha Benavente
Grau de Dificuldade: Acessível a todos





Inscrições:
Sector Desporto (Pisc. de Benavente)
Tl: 263 519 682 / 968 579 439

Juntas de Freguesia de Samora Correia, Barrosa e Stº Estêvão;

E-mail: desportocmb@mail.telepac.pt

Até às 12h do dia 22 de Junho 2007 – Ficam abrangidos por um seguro de acidentes pessoais


Fonte do texto e imagem: Câmara Municipal de Benavente

Caminhada Pé ante Pata, em Sintra, dia 24 Junho

"O Pé ante Pata planeou um passeio, pensado exclusivamente para cães e seus donos. Se não tiver nenhum cão, é claro que também é bem-vindo. Terá a oportunidade de desfrutar da companhia de muitos amigos de 4 patas. Com este passeio todos passaremos uma manhã agradável, será um convívio entre os animais e os humanos que deles gostam e que com eles se preocupam.

Não existem custos de participação para esta caminhada. No entanto, os animais abandonados agradecem um donativo: sacas de ração, mantas, etc. Se quiserem e puderem também poderão contribuir monetariamente para ajudar nas situações pendentes de veterinários. Poderão contribuir por exemplo com um cheque passado à ordem do Hospital Veterinário Central, para ajudar os animais que lá temos internados.

Clicar para ampliar

Recomendamos roupa leve e calçado adequado. Traga água para si e para o seu amigo.
Condições de participação: animais sociáveis, cadelas esterilizadas ou sem estarem em cio."

Inscrições:
96 796 17 32
96 358 20 33

Fonte do texto e imagem: Pé Ante Pata

Passeio pedestre na Serra da Lousã, dia 22 de Junho. Organização da Câmara Municipal de Miranda do Corvo

Realiza-se amanhã, dia 22 de Junho, um passeio pedestre na Serra da Lousã, durante o qual os participantes terão a oportunidade de conhecer a aldeia do Gondramaz e a flora e espécies vegetais da serra, com as explicações dos professores Paulo Silveira, João Ezequiel e Ana Lourenço, da Universidade de Aveiro. Esta caminhada é organizada pela Câmara Municipal de Miranda do Corvo

O passeio insere-se no ciclo de fauna e flora da serra da Lousã, que tem desenvolvido vários workshops e passeios pedestres na Serra da Lousã. O ponto de encontro é a Câmara de Miranda Municipal do Corvo, no sábado, às 16h30, onde um autocarro levará os participantes até à aldeia do Gondramaz. O passeio inicia-se junto à aldeia e permitirá desvendar os segredos da Serra da Lousã, tendo uma duração de duas ou três horas. As inscrições podem ser feitas na Câmara de Miranda do Corvo.
As Aldeias do Xisto são constituídas por 24 aldeias distribuídas por 14 municípios do Pinhal Interior, na região Centro.

Fonte: Diário Beiras online- 21-6-007

quinta-feira, junho 21, 2007

Câmara Municipal de Vila Real apresentou hoje cinco percursos pedestres no concelho.


"A Câmara Municipal de Vila Real apresentou hoje cinco percursos pedestres, que levam à descoberta do concelho num total de 32 quilómetros, divulgando o património arquitectónico e sensibilizando a população para a preservação do meio ambiente.

Com passagem pelo Santuário de Panóias, o Fojo do Lobo, as Minas de Vila Cova, igrejas, espigueiros, cortes de gado ou casas tradicionais em granito, os percursos pretendem, segundo o vice-presidente da autarquia, Domingos Madeira Pinto, «valorizar» o património de Vila Real.

O autarca referiu que o projecto «visa dotar o concelho de um conjunto de infra-estruturas públicas de apoio ao turismo na natureza, proporcionando aos turistas, visitantes e população local o usufruto equilibrado do seu património ambiental e paisagístico». «O objectivo é levar os turistas e a população da cidade de Vila Real aos meios rurais do concelho», acrescentou. Madeira Pinto referiu que as juntas de freguesia por onde passam os percursos vão disponibilizar os roteiros e mapas.

Os percursos definidos neste projecto, que contou com um investimento de 25 mil euros financiados em 60% pelo programa Leader, têm uma extensão variável entre os três e os 12 quilómetros.

Foram colocadas ao longo dos percursos 50 placas de sinalização.

O "Circuito das Três Aldeias" engloba a passagem pelas aldeias de Vila Meã, Linhares e Águas Santas, marcadamente rurais e com uma arquitectura tradicional, onde podem ser observados os espigueiros, as eiras, cortes de gado e algumas espécies da fauna como a águia-de-asa-redonda ou o lagarto d´água.

Com passagem pelo santuário pré-histórico de Panóias, o "Circuito de Constantim" leva ainda os visitantes às igrejas matrizes de Constantim e de Assento, atravessando uma mancha de pinhal que acolhe várias espécies de aves de rapina.

O "Circuito do Carvalhal" é marcado pela vegetação «exuberante» onde podem ser observados carvalhos e castanheiros, amieiros e onde vivem espécies como o gato-bravo, o javali, a coruja-do-mato e uma imensidão de borboletas.

As instalações abandonadas das minas de Vila Cova, as cristas de quartzito, casas tradicionais em granito ou a sepultura antropomórfica são alguns dos pontos que podem ser observados no "Circuito do Mineiro".

Por fim, em Samardã, onde a paisagem é caracteristicamente de montanha e dominam os matos de altitude, pode ser visitado o Fojo do Lobo num circuito dedicado essencialmente à fauna local.

Fonte: Diário Digital / Lusa -21-6-007

Centro de Educação e Interpretação Ambiental (CEIA) da Paisagem Protegida de Corno de Bico, em Paredes de Coura, vai ser inaugurado em 1 de Julho


"O Centro de Educação e Interpretação Ambiental (CEIA) da Paisagem Protegida de Corno de Bico, em Paredes de Coura, vai ser inaugurado oficialmente em 1 de Julho pelo ministro do Ambiente, indicou o presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura.

António Pereira Júnior afirmou que o CEIA custou 1,1 milhões de euros e está de portas abertas desde 2 de Janeiro, tendo como principais objectivos a investigação e a divulgação dos recursos naturais daquela área protegida. O CEIA foi construído de raiz e inclui áreas destinadas à investigação e divulgação dos recursos naturais da Paisagem Protegida de Corno de Bico, designadamente ateliês, sala de exposições, auditório, laboratório e instalações sanitárias.

O projecto global de arquitectura contemplou também a recuperação e adaptação dos antigos imóveis da Casa do Professor e da Escola Primária de Chã de Lamas a dormitório e cantina, respectivamente. Aqueles imóveis foram edificados aquando da criação pelo Estado Novo da Colónia Agrícola da Boalhosa em finais dos anos 50 do século XX. «Discreto, rodeado por carvalhos, vidoeiros e cedros, o CEIA é esteticamente original, revestido por camadas de madeira, para assim se fundir na admirável paisagem circundante», disse fonte municipal.

«Estão assim criadas as condições logísticas capazes de acolher a visita de estabelecimentos de ensino e de estudiosos que pretendam aprofundar os seus conhecimentos sobre a valiosa flora e fauna da Paisagem Protegida de Corno de Bico», acrescentou.

Esta Paisagem Protegida foi criada a 20 de Setembro de 1999 e estende-se por mais de dois mil hectares, abrangendo as freguesias de Castanheira, Cristelo, Parada, Vascões e Bico, sendo que 25 por cento da área é mata formada por carvalhos e outras folhosas.

Na sala de exposições do CEIA está patente, até Março, uma mostra denominada "Do Baldio à Colónia Agrícola da Boalhosa", organizada pelo Serviço de Arquivo da Autarquia de Paredes de Coura, com o objectivo de rememorar o percurso de humanização sofrido por aquela extensa área. A iniciativa surge na sequência de uma acção de recolha de documentação, que se encontrava em vias de degradação, junto dos ex-colonos, podendo ser observados projectos e plantas originais de infra-estruturas e inúmeras fotografias, na sua maioria a preto e branco. Trata-se de documentos acompanhados de textos explicativos e que ilustram, entre outros aspectos da vida da comunidade, os trabalhos de desbravamento da terra inculta e raros utensílios agrícolas utilizados no amanho dos campo."

Fonte: RTP /Lusa -20-6-007

Inauguração do Percurso Pedestre em Vila Franca do Campo (Ilha de S. Miguel - Açores) dia 22 de Junho

Inauguração do Percurso Pedestre em Vila Franca do Campo (Ilha de São Miguel - Açores)

Dia 22 de Junho

Local de concentração: Largo da Câmara
Hora de concentração: 9h
Rota: Monte Escuro - Pico da Vela - Pico da Cruz – Sr ª da Paz –

Caminhada Nocturna em Estremoz, dia 23 de Junho

Caminhada Nocturna em Estremoz

23 de Junho às 21 horas
Partida junto à Câmara Municipal de Estremoz


Clicar para ampliar


Informações e inscrições:

Câmara Municipal de Estremoz
Rossio Marquês de Pombal
7100-513 Estremoz
Tel: 268 339 200
Fax: 268 334 010
e-mail.: cmestremoz@cm-estremoz.pt


Fonte: Câmara Municipal de Estremoz

Secção de Pedestrianismo dos Amigos da Montanha realizou um percurso pedestre na Serra do Caramulo e Reserva Botânica do Cambarinho, dia 9 de Junho

"No dia 9 de Junho a secção de Pedestrianismo dos Amigos da Montanha realizou um percurso pedestre em Vouzela. O percurso com cerca de 15 km contou com cerca de 50 participantes e desenrolou-se no concelho de Vouzela, tendo inicio cerca das 11 horas no dólmen da Lapa de Meruje, o mais imponente monumento megalítico do concelho, junto à barragem com o mesmo nome situada num vale aberto em plena serra do Caramulo.

Daqui seguimos por antigos caminhos lajeados, trilhos de pastores e alguns caminhos de ligação, passando pelos geradores eólicos aproveitamos para ver um à beira e ter noção da sua gigantesca dimensão, na aldeia de Abelheira podemos ver algumas casas cobertas com colmo.

Subimos até à Couca dos Corvos onde almoçamos junto das ruínas de antigos edifícios, seguindo encosta abaixo com uma magnífica vista até ao vale onde se situa Farves que atravessamos enquanto apreciávamos toda a ruralidade em volta.

Clicar para ampliar


Pouco depois entramos na Reserva botânica de Cambarinho criada em 1971 ( a primeira reserva botânica a ser criada em Portugal) especialmente para proteger os Loendros uma das raras espécies sobreviventes do terciário e que tem ao longo da ribeira de Cambarinho o maior núcleo conhecido em Portugal. Percorrendo os trilhos no interior da reserva podemos ver algumas flores dos Loendros que já estão na fase final de floração assim como toda a luxuriante vegetação envolvente alem de um moinho totalmente restaurado, terminando a actividade por volta das 16 horas.

A próxima actividade de Pedestrianismo dos Amigos da Montanha é no dia 7 de Julho na Serra do Alvão."


Fonte do texto e foto: Amigos da Montanha

Inauguração do PR 8 FAF Rota dos Romeiros, dia 14 de Julho, em Estorãos - Fafe, numa organização dos Restauradores da Granja


Dia 14 de Julho de 2007 será inaugurado o PR 8 FAF Rota dos Romeiros, no concelho de Fafe, implementado e organizado pelo Secção de Pedestrianismo dos Restauradores da Granja,

Percorrendo os caminhos antigos do Formigueiro, do Fundelo, da Castinheira, do Canhutal, da Seara, de Passos vamos dar ao largo da Senhora da Ajuda, onde encontramos a capela com o mesmo nome, que acolhe no primeiro domingo de Setembro, uma das maiores romarias do concelho de Fafe. Pelo meio as capelas da Prata, das Leis de Cima, de S. Paio são paragem obrigatória para os romeiros.


Programa:

8:30 horas: Abertura Secretariado no largo da Mourica, junto à Igreja:

- Inscrições, confirmações, distribuição de lembranças individuais.

9:30 horas: Inauguração da PR8 FAF “Rota dos Estorãos”
9:45 horas: Saída para a Marcha
14horas: Final da marcha (previsão)

14:30 h: Tainada Minhota:

- Convívio Gastronómico –“Traz do teu, come de todos”, para o qual deverás trazer algum petisco característico da tua região (um prato confeccionado; produtos de fumeiro; queijos; doçaria; etc.). A organização garante condições de armazenamento e conservação para os produtos. Traz o prato, a malga, os talheres e uma pinga.

Decorrerá ainda:

  • Mostra de artesanato local
  • Festival de Imagens alusivas ao pedestrianismo
  • Animação musical
  • Entrega de lembranças aos clubes participantes


Características do Percurso:
Distância a percorrer: Cerca de 9 km, em círculo
Grau de Dificuldade: Médio
Duração: Cerca de 4 horas


Inscrição:

Efectuadas e pagas até 12 de Julho 2007

- Sócios com as quotas em dia: 2,50 Euros
- Não sócios: 5,00 Euros
- Até aos 16 anos é grátis.

Após o dia 12 de Julho, a inscrição sofre um agravamento de 50%

Seguro: 3,50 Euros por cada participante não portador de Carta de Montanheiro, pago até 12 de Julho 2007.

Lembranças a todos os participantes pré-inscritos: T-shirt, pin e topoguia

Informações e inscrições:
- 966 771 364 (Afonso Costa)
- 939 253 134 (Américo Lapa)
- 963 215 968 (Manuel Lobo)
- 253 494 344 (sede Restauradores da Granja)
- 253 495 466 fax (sede Restauradores da Granja)

www.restauradoresgranja.com
montanhismo@restauradoresgranja.com

A implementação e organização deste percurso pedestre contou com o apoio, entre outrar entidade, da Junta de Freguesia de Estorãos, da Câmara Municipal de Fafe e da Naturfafe.

Fonte do texto e imagem: Restauradores da Granja

Percurso pedestre "Caminhos da Freita" dia 14 de Julho, organizado pelo Núcleo Regional de Aveiro da Quercus, na Serra da Freita

"No próximo dia 14 de Julho o Núcleo Regional de Aveiro da Quercus organiza o percurso pedestre "Caminhos da Freita" na Serra da Freita, importante espaço natural que urge preservar.

Descrição do percurso
O percurso tem início no Parque de Campismo do Merujal, passa pelo Vale da Raiz e cumeada seguinte, de onde se obtém larga e espectacular panorâmica sobre o Vale de Arouca. Seguidamente atinge-se o marco geodésico de S. Pedro Velho, o ponto mais alto da Serra da Freita, de onde também poderemos admirar belas vistas. Desce-se em direcção à barragem do Junqueiro onde se toma o PR15 (um dos percursos pedestres marcados na serra) ao longo do Rio Caima até à aldeia tradicional de Albergaria da Serra, rumando-se de seguida por um antigo caminho entre muros para a pequena aldeia da Mizarela e até ao miradouro da Frecha da Mizarela, de onde se poderá admirar a cascata monumental com o mesmo nome. Regresso ao parque de campismo pelo PR7 (outro dos percursos pedestres marcados na serra).

O objectivo desta actividade é promover o contacto com a Natureza, ajudando a conhecer o património natural e tradicional desta região, promovendo ao mesmo tempo a confraternização entre todos os participantes.

Clicar para ampliar


Características do percurso
Tipo de percurso: de pequena rota, por caminhos rurais, tradicionais e de montanha
Distância a Percorrer: cerca de 7 km, em circuito
Duração do Percurso: cerca de 2h30m
Nível de Dificuldade: baixo/médio.


Informações importantes

Aconselhamos a levar roupa e calçado apropriados, água e eventualmente comida leve.

O ponto de encontro é às 8 Horas na sede da Quercus-Aveiro, Urb. de Santiago, Bl. 25, em Aveiro. O ponto de encontro alternativo é às 9.30 Horas no Parque de Campismo do Merujal. O transporte de e para o local da visita deve ser próprio ou partilhado.

A inscrição é obrigatória, podendo ser efectuada através do telefone 966551372 ou do e-mail aveiro@quercus.pt, até ao dia 12/07/2007. Esta actividade é gratuita para sócios e menores de 16 anos e terá o custo simbólico de 5 Euros para não sócios. Atenção que o número de participantes é limitado!
Não existe seguro de grupo para esta actividade, os interessados devem tratar do mesmo a título pessoal.
Após o percurso, terá lugar um almoço de confraternização no restaurante do Parque de Campismo do Merujal, em plena Serra da Freita. A participação no almoço, a qual se recomenda vivamente, terá de ser confirmada no acto de inscrição, tendo o custo adicional de 14 euros por adulto e de 7 euros por criança até aos 10 anos. Este valor inclui um almoço completo cujo prato principal será um churrasco misto, havendo a possibilidade de um prato vegetariano se previamente solicitado, assim como o direito a um duche quente nas instalações do parque.


Contactos:

Núcleo Regional de Aveiro da Quercus - A.N.C.N.
Urb. de Santiago, Bl. 25 - R/C F, Aveiro
Apartado 363; 3811-905 AVEIRO

Tel.: 966551372.

E-mail: aveiro@quercus.pt
http://aveiro.quercus.pt


Fonte do texto e cartaz: Núcleo Regional de Aveiro da Quercus [Armando Ferreira]