segunda-feira, julho 30, 2007

Cinco novos percursos pedestres no concelho de Monção.


"O Município de Monção conclui a implementação de cinco percursos pedestres no respectivo concelho.

Concluído o levantamento e executada a sinalização, o executivo monçanense avançou com a promoção dos 5 percursos pedestres do concelho que, juntamente com a Ecopista do Rio Minho, passam a constituir uma mais valia turística para o concelho.

Estes percursos fazem-se por lugares ancestrais e paisagens de sonho. A autarquia efectuou o lançamento de um desdobrável por cada percurso. Dois deles, Chã da Carreira (na freguesia de Tangil) e Santo António de Vale de Poldros (nas freguesias de Riba de Mouro e Tangil) encontram-se no momento temporariamente desactivados devido aos trabalhos do parque eólico.

Feitos a pensar no interesse e comodidade do caminheiro, os desdobráveis, em acordeão com seis dobragens, mostram fotografias de cada caminho, indicações como chegar ao inicio do percurso e informação detalhada sobre o património natural e construído de cada um. Além de um breve regulamento e conselhos úteis sobre caminhadas, os desdobráveis apresentam o percurso numa carta militar, chamando a atenção, através de números, para os locais de maior interesse. Englobam ainda contactos úteis e informação técnica sobre o percurso.

Os 5 percursos estão marcados nos dois sentidos, de acordo com as normas da Federação de Portuguesa de Montanhismo. Apesar da sua identificação, é aconselhável o acompanhamento de um guia devido ao elevado valor de informação que proporciona e para garantia da segurança do caminheiro."


Aqui fica uma breve descrição dos percursos existentes:

  • Trilho de Carvalheira de Abedim
(aceder ao folheto informativo)

Freguesia: Abedim
Ponto de Partida: Junta de Freguesia de Abedim
Distância: 6,7 Km
Duração: 2.30 horas
Grau de dificuldade: fácil/moderado (cota máxima de 500 metros de altitude)
Âmbito: Ecológico-paisagistico
Roteiro: Tem como pontos de interesse o frondoso bosque de carvalhos e azevinhos, os cursos de água, toda a paisagem de minifúndio do Vale da Gadanha, a Aldeia de Gandrachão e o Castelo Roqueiro da Penha da Rainha.



  • Trilho do Caminho dos Mortos
(aceder ao folheto informativo)

Freguesia: Merufe
Ponto de Partida: Capela do Sr. dos Passos, Merufe
Distância: 13.2 Km
Duração: 5 horas
Grau de dificuldade: fácil/moderado (cota máxima de 649 metros de altitude)
Âmbito: Ecológico-paisagistico
Roteiro: Este trilho reconstitui o trajecto que os funerais dantes faziam desde os locais montanhosos até à igreja paroquial, em que o transporte dos finados, em carros de bois, demorava horas. Destaque ainda para vestígios das primeiras civilizações que assentaram nesta região no 4º milénio A.C., como Mamôa do Cotinho, um monumento funerário colectivo e local de culto, onde eram depositados os mortos.


  • Trilho da Cova da Moura
(aceder ao folheto informativo)

Freguesia: Cambeses e Longos Vales
Ponto de Partida: Capela de Nossa Sra. da Boa Morte, Cambezes
Distância: 5,2 Km
Duração: 1.30 horas
Grau de dificuldade: fácil (cota máxima de 247 metros de altitude)
Âmbito: histórico-cultural


  • Trilho da Chã da Carreira
Freguesia: Tangil
Distância: 8,6 Km
Duração: 4.30 horas
Grau de dificuldade: fácil/moderado (cota máxima de 710 metros de altitude)
Âmbito: Ecológico-paisagístico
Roteiro: Neste percurso podem-se observar os caminhos ladeados por pedra, os moinhos ou as mamôa


  • Trilho de Santo António de Vale de Poldros
Freguesias: Riba de Mouro e Tangil
Ponto de Partida: J
Distância: 13,2 Km
Duração: 5.00 horas
Grau de dificuldade: moderado (cota máxima de 1112 metros de altitude)
Âmbito: Ecológico-cultural
Roteiro: Neste percurso podem-se ver cardenhas (habitações típicas das brandas), poldros (cavalos pequenos) em plena liberdade, e os “quartéis”, locais de abrigo dos romeiros.



3ª Passeio Pedestre "Rota da Sapateira", em Castelo Branco, dia 9 de Setembro

3ª Passeio Pedestre "Rota da Sapateira"

9 de Setembro


Local de Concentração: Praça do Município de Castelo Branco
8h30 – Concentração e abertura do Secretariado
9h00 – Inicio do Passeio Pedestre

Distância do Percurso: Cerca de 13 Km

Organização: Caminheiros de Castelo Branco - Secção da Casa do Benfica


Clicar para ampliar


Inscrições
podem ser efectuadas:

Casa do Benfica
Kiosk Vidal
E-mail: caminheiroscastelobranco@hotmail.com
Telem. 960 483 694 – Garrido
917 630 647 – Ramos


Fonte do texto e cartaz: Caminheiros de Castelo Branco - Secção da Casa do Benfica

Mais de 10 mil participantes em Matosinhose Leça da Palmeira, durante os 4 meses da primeira iniciativa "Põe-te a Mexer.. .. nas Marginais"


"Com nove caminhadas, entre 6 de Maio e 29 de Julho de 2007, a 2º edição do "Põe-te a mexer.. nas Marginais", organizada pela Câmara Municipal de Matosinhos juntou «mais de 10 mil pessoas», acompanhadas por técnicos de desporto e de saúde, e mostrou «que as marginais de Leça da Palmeira e Matosinhos são excelentes para a prática de desporto informal, ligado às questões da saúde e do combate à vida sedentária», como referiu Guilherme Pinto, presidente da Câmara de Matosinhos.

A iniciativa "Põe-te a mexer" pára em Agosto mas regressa em Setembro, com o "Põe-te a mexer... nos Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos" para ficar até Agosto do próximo ano. «Nos meses de Inverno, a actividade será transferida para o Pavilhão de Congressos, com mini-caminhadas, aulas de aeróbica, ginástica, etc, para não se perder o hábito do desporto», disse Guilherme Pinto.


«Com vários milhares de pessoas aqui, conseguiu-se o objectivo essencial - marcar um encontro com alguma actividade física todos os domingos. A generalidade dos participantes não é desportista», acrescentou. É o caso de Maria José Silva, de Arcozelo, Vila Nova de Gaia. «Não faço outro exercício além das caminhadas», contou. «Faz bem à saúde», acrescentou o marido, Joaquim Sousa Leite. «Podíamos fazer isto em Espinho, mas nasci lá e quando os amigos me vêm só me querem levar para o café», disse. Aderiram à iniciativa matosinhense e só faltaram quando choveu. «Temos de vir de mota...» Manuel Fernandes também se faz à estrada em duas rodas, sem motor. De bicicleta, percorreu dezenas de quilómetros de Esmoriz a Matosinhos. «A actividade física contribui para o bem-estar», disse. «Mas convém dar alguma continuidade ao exercício durante a semana. Só assim se tira benefícios físicos e mentais», acrescentou. Uma lição para Miguel, oito anos, e Daniela, 14. «Foi a primeira vez que vim. Já tinha ouvido falar e gostei», disse, enquanto o irmão se entretinha a 'driblar' com uma garrafa de plástico. Quer ser futebolista quando for grande e levanta a camisola para mostrar que está em forma. Pedro, 10 anos, só faltou a uma caminhada. «Foi no dia dos meus anos», explicou. O pai despertou-lhe o gosto pelos passeios, mas é o exemplo de dois tios, guardas-prisionais, que quer seguir profissionalmente.

Este projecto teve como principais objectivos: promover o gosto pela prática da actividade física; promover o convívio entre a população de diferentes faixas etárias, sexo e condição social; ocupar os tempos livres de uma forma alegra e saudável; promover a criação de hábitos de vida saudáveis; e incutir a noção da relação positiva entre a prática da actividade física e a melhoria da qualidade de vida."



Fontes:
Texto -
Jornal de Notícias - 30-7-007
Imagem - Câmara Municipal de Matosinhos



Parque Nacional da Peneda-Gerês cria transportes alternativos

"O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) pretende também incentivar os visitantes a deixar o carro estacionado e andar de transporte público de passageiros aquando das visitas ao espaço, de forma a reduzir a pressão humana na área protegida. Para isso numa iniciativa conjunta com a Câmara Municipal de Terras de Bouro e a Empresa Hoteleira do Gerês, criou um serviço de transporte alternativo, que será feito por um mini-autocarro e está em funcionamento desde meados do mês de Julho, prolongando-se até ao próximo dia 15 de Setembro.

«A intenção é reduzir a pressão humana na Mata da Albergaria - um dos mais importantes bosques do PNPG - que se faz sentir principalmente no período de Verão, provocada essencialmente pelo excesso de circulação de veículos motorizados», referiu o Director do Departamento de Gestão das Áreas Classificadas do Norte, Henrique Miguel Pereira.

Desta forma, espera-se «contribuir para um uso social e recreativo da Mata da Albergaria mais consentâneo com a sua preservação», revelou, ainda o Director, salientando que «a reacção à implementação deste sistema de transportes alternativos, principalmente dos empresários turísticos deste território, tem sido muito positiva».

O novo serviço irá «permitir aos turistas que não venham munidos de meio de transporte individual conhecer e usufruir do Gerês, principalmente da Mata da Albergaria. A medida irá promover o aumento do tempo de permanência destes na estância termal e diminuir a circulação automóvel no vale do Gerês o que promove de alguma forma o aumento da qualidade da visita».

O circuito inteiro no Vale do Gerês que inclui os principais pontos de paragem como o Gerês, São Bento, Covide, Campo do Gerês, Portela do Homem e Leonte, é efectuado durante a semana. Com uma extensão aproximada de 40 quilómetros, prevê a realização de quatro horários diários. Por seu turno, ao fim-de-semana, realiza-se apenas o circuito Gerês, Leonte e Portela do Homem e vice-versa com uma extensão aproximada de 13 quilómetros e com seis horários diários."

Miguel Rodrigues

Fonte: Jornal de Notícias - 29-7-007


Ecopista do Rio Minho de Valença a Monção



"Uma bicicleta, ou simplesmente a pé, roupa e calçado confortáveis, e alguma vontade são o necessário para percorrer os 13 quilómetros de verdadeiro prazer, na perspectiva de quem ama o desporto e/ou a Natureza, da Ecopista do Rio Minho. Construído sobre a antiga linha férrea Valença-Monção, desactivada em 1990 depois de menos de um século de funcionamento, o circuito, inaugurado em Novembro de 2004, convida ao domingo pela manhã ou ao fim da tarde passar algumas horas em ritmo de passeio ou a seu bel-prazer.

A ideia pode ser começar por percorrer os nove quilómetros que atravessam o concelho de Valença. É aí que simbolicamente se inicia a "Ecopista do Rio Minho", embora o percurso possa ser iniciado no extremo oposto, às portas da vila de Monção. O troço situado em território deste concelho estende-se ao longo de quatro quilómetros.

A começar por Valença, encontra-se logo à entrada um centro de interpretação, com um pequeno parque de estacionamento de apoio à estrutura e um painel informativo com uma infografia da totalidade do percurso. No interior do edifício, conhecido como antiga Casa da Linha, são apresentadas as características do trajecto e a memória de oito décadas de vivências ferroviárias na antiga linha ferroviária Valença-Monção. Depois já na pista ecológica, a pé ou de bicicleta, tudo é Natureza. Imperam o verde e o rio Minho.

Na Urgeira, por exemplo, há um carvalhal e por ali perto existe um miradouro com vista para os vinhedos da freguesia de Ganfei, para o rio Minho. Lapela oferece uma extensa área verde que apela ao descanso com vista panorâmica sobre o rio Minho, das embarcações fluviais tradicionais, da labuta dos pescadores e da margem galega. E na freguesia de Troporiz, freguesia onde o rio Gadanha desagua no Minho a beleza da paisagem corta a respiração. Para a recuperar nada melhor que, já no fim do percurso em Cortes, assentar arraiais num belo parque de merendas, que envolve uma capela ali existente e que se encontra aconchegado no meio de árvores.

Todo o território em torno do percurso numa distância de meio quilómetro é recheado de monumentos históricos e outros pontos de interesse para eventuais visitas. O antigo apeadeiro de Nossa Senhora da Cabeça, em Monção, recorda a antiga linha de comboio com fotografias antigas, cronologia da linha-férrea entre as duas localidades e um cartaz ampliado anunciando a chegada do comboio a Monção. Perto existe outro centro de interpretação, idêntico ao encontrado no início do trajecto."

Ana Peixoto Fernandes

Fonte:
Jornal de Noticias - 29/7/007

domingo, julho 29, 2007

Ecoteca de Santa Maria (Açores) - Passeios Pedestres em Agosto 2007

Passeios Pedestres em Agosto 2007 - Ecoteca de Santa Maria (Açores)


3 de Agosto
Passeio pedestre Ribeira do Salto - Ilhéu do Romeiro

10 de Agosto
Passeio Pedestre St.ª Bárbara - Sol Nascente
Distância: 9 km

17 de Agosto
Passeio Pedestre Maia - Santo Espirito
Distância: 8,3 Km

24 de Agosto
Passeio pedestre Pedreira do Campo - Praia Formosa

31 de Agosto
Trilho Malbusca
Distância: 8,6 km

Clicar para ampliar

Inscrições:
Ecoteca de Santa Maria
Tel. 296 883 133


sábado, julho 28, 2007

28 de Julho - Dia Nacional da Conservação da Natureza


No dia 28 de Julho de 1998, por ocasião dos 50 anos da Liga de Protecção para a Natureza, o Estado Português instituiu o Dia Nacional da Conservação da Natureza. Este dia surge assim com o objectivo de chamar a atenção dos cidadãos para a importância da natureza e para os problemas de conservação existentes.

sexta-feira, julho 27, 2007

Passeio Pedestre de Beijós (Carregal do Sal) a Nelas, 5 de Agosto de 2007

Passeio Pedestre de Beijós (Carregal do Sal) a Nelas

5 de Agosto de 2007
Ponto de Encontro: 8h00, na Quinta dos Caminhos, Beijós
Final: Quinta da Longra, Nelas

Clicar para ampliar


Inscrições:
vitorbatista@mail.telepac.pt Tel. 96252389
viveiros-batista@clix.pt Tel. 965125790
beijokense@gmail.com

Preço: 5 € (inclui T-shirt, Seguro, Porco no Espeto, bebidas diversas, fruta)


Fonte do texto e imagem: Beijós XXI

quarta-feira, julho 25, 2007

Ecopista do Sabor, em Moncorvo, com ampla utilização. Ampliação da ecopista até ao Pocinho em perspectiva.

"Numa altura em que em Trás-os-Montes e Alto Douro algumas autarquias se mostram interessadas na transformação de troços de linhas férreas abandonadas em eco vias, a Câmara Municipal de Torre de Moncorvo não dá por mal empregue o investimento de 500 mil euros já feito na criação da ecopista do Sabor - a primeira no distrito de Bragança.

A funcionar pelo segundo ano consecutivo, esta estrutura, que segue o trilho da antiga linha-férrea do Sabor, entre a vila de Moncorvo e a aldeia do Carvalhal, é já utilizada por milhares de pessoas. "A maior parte são do concelho, mas já vem muita gente de fora", salienta o autarca, Aires Ferreira. Embora não tenha números oficiais relativos aos utilizadores, não dúvida da mais-valia turística que a ecopista representa para o Município.

Com uma extensão de oito quilómetros, a pista em terra batida contorna o sopé da imponente Serra do Reboredo, que guarda as costas à vila transmontana. O percurso inicia-se junto à sua antiga estação, e, a pé ou em bicicleta, vence-se a suave subida que nos leva ao Larinho. Pelo meio há pequenas zonas de repouso com bebedouros.

A antiga estação do Larinho foi transformada numa atraente cafetaria, que oferece ao utilizador da pista um espaço de repouso, quiçá para repor energias e beber ou comer alguma coisa. Ao lado, a câmara construiu sanitários públicos. É só mais uma tirada antes de chegar ao fim, no Carvalhal. Os mais afoitos sempre podem fazer meia-volta-volver e regressar a Moncorvo pela mesma via, agora a descer.

Com o aumento da consciência dos benefícios do exercício físico e o maior número de participantes em caminhadas, a autarquia de Moncorvo deseja alargar a extensão da ecopista numa primeira fase até a freguesia de Carviçais, onde se realiza anualmente o festival de música, e num segundo momento estendê-la até ao Pocinho, junto ao rio Douro. As obras deverão ser candidatadas ao novo quadro de fundos comunitários. Mesmo assim, Aires Ferreira considera que o ideal seria ter uma via verde ao longo de toda a antiga linha do Sabor, com fim em Miranda do Douro."

Eduardo Pinto

Fonte: Jornal de Notícias -25-07-007





breve aparte: esta notícia fez-me lembrar uma ida ao Festival de Carviçais em Agosto de 2001. Levamos as bicicletas no carro e uma tarde resolvemos ir de bicla do festival até Moncorvo. Já no regresso, numa descida, velocidade a mais e a minha bicla sai da estrada, bate numa rocha e parte uns 5 ou 6 raios da roda da frente. Tive de suar bem as estopinhas para chegar de novo a Carviçais com a dita roda feita num (dez)oito (faltou haver carro de apoio!) e com um calor brutal. Mas ainda cheguei a horas de ver os Young Gods!

Percurso pedestre de Várzea de Calde, em Viseu, é sucesso junto da população

O percurso pedestre de Várzea de Calde, em Viseu, está a ser um sucesso junto da população. Na caminhada (a terceira, contando com a da inauguração) organizada ontem pela autarquia participaram várias dezenas de pessoas. No entanto, têm sido muitos aqueles que aproveitaram o bom tempo dos últimos dias para conhecer melhor aquela freguesia no norte do concelho.

A Câmara Municipal de Viseu está satisfeita com a adesão por parte dos viseenses e prepara a inauguração de mais três percursos. "Em fase adiantada do projecto estão Campo, Cepões e Côta", revelou ao nosso Jornal, o presidente do município, Fernando Ruas, no final do percurso de ontem. Segundo o edil, o objectivo é criar uma rede municipal com pelo menos um caminho por freguesia, mas, para já, as freguesias do Norte levam vantagem. "Tem também a ver com a beleza marcante desta zona do concelho", admitiu o autarca.

Nas últimas semanas Palmira Almeida, habitante de Várzea de Calde, tem visto muita gente passar pela sua aldeia, considerando que a criação do percurso pedestre foi uma medida muito positiva. Os membros da Associação Cultural local também estão de acordo: as caminhadas ajudam a promover a localidade.

Ontem, montaram uma espécie de área de apoio junto a um dos moinhos e davam aos utilizadores do percurso pedestre a possibilidade de ganharam mais força disponibilizando vinho (branco ou tinto), água, presunto e broa. Com muita boa disposição iam incentivando os caminhantes a continuar, já que faltava a parte mais difícil, a subida para a Barragem.



O que pode ver durante o percurso
Ao longo dos quase nove quilómetros do percurso pedestre de Várzea de Calde as pessoas podem "maravilhar-se" com paisagens diferentes e conhecer melhor algum do património cultural e arquitectónico.

A caminhada começa no meio de campos cultivados, ladeados de videiras. Acompanhando os regos que levam a água até às culturas, rapidamente se chega às zonas onde é preciso caminhar em fila indiana já que não há mais espaço entre a ribeira de Várzea e os terrenos dos habitantes daquela aldeia. Chegados ao pinhal que cobre grande parte da freguesia, os caminhantes entram noutro "mundo", muito mais escuro e mais fresco e seguindo sempre o curso de água chegam aos primeiros moinhos. Alguns deles cederam às intempéries e vão ser recuperados, outros nunca deixaram de funcionar.

O caminho continua e, para quem deseja, é possível descansar nos bancos colocados estrategicamente em locais de grande beleza junto à ribeira. Com o aproximar da Barragem de Calde o caminho começa a alargar e é possível manter uma conversa com os "colegas" do lado, enquanto se percorre mais alguns quilómetros, passando por dois parques de merenda bem equipados.

Após cerca de duas horas chega-se à aldeia de Várzea, cujo núcleo tem vindo a ser requalificado e onde em breve deverá abrir as suas portas o Museu do Linho. É aqui que termina o primeiro percurso pedestre do concelho de Viseu.


Fonte: Diário de Viseu -16-07-007

Ecopista / Ciclovia Guimarães - Fafe prevê ampliação futura.


"Quem já experimentou não tem dúvidas os cerca de 14 quilómetros entre as cidades de Guimarães e Fafe, através da pista de cicloturismo, fazem-se "na boa". Sem necessidade de grande pedalada. O percurso convida a passeios mais introspectivos ou a sprints mais competitivos. A maioria dos utilizadores opta por usar a bicicleta, mas há quem se faça à pista a pé, para passeatas demoradas.

Num caso como no outro, a experiência serve para tirar partido do percurso plano (excepção a cinco quilómetros no sentido Fafe-Guimarães, de ligeira subida) e da paisagem que faz lembrar aos mais incautos que estão no Minho - mais do lado de Fafe, diga-se, com o corredor que rasga campos e vinhas.

A ciclovia resulta da transformação da linha férrea que ligou, durante décadas, as duas cidades. Quando os comboios deixaram de circular e a vegetação começou a invadir a via, as câmaras de Guimarães e de Fafe decidiram converter o corredor numa pista. Corria o ano de 1996.

Desenhado entre vales e serras, o corredor oferece uma boa alternativa para todos os que gostam de desporto e natureza. No trajecto, o viandante pode reparar nos sinais que ainda restam da antiga linha, como a velha estação de Paçô Vieira (Guimarães), com o seu depósito de água e a estação de Fareja, agora convertida em bar que serve bebidas que prometem dar asas aos ciclistas. E tirar partido da tranquilidade.

Do lado de Guimarães, a principal entrada é em Aldão (à face da EN 206). No local, não há propriamente um parque de estacionamento à espera, na medida em que o terreno não está preparado para esse fim, mas um espaço que serve para deixar os automóveis. Pelo caminho, não abundam os pontos de água, mas valem as fontes tradicionais pertencentes a propriedades agrícolas situadas junto à via. Poderá usá-las, desde que o faça com parcimónia.

Quando funcionava, a via-férrea seguia por Mesão Frio, onde existia uma passagem de nível sobre a estrada, e depois pela encosta da Penha, até à estação central de Guimarães (agora adaptada a loja Ponto Já, do Instituto Português da Juventude). A pista é parte de um plano mais amplo do Município que prevê, numa segunda fase, a sua ligação à Cidade Desportiva - passando, portanto, pelo centro da cidade de Guimarães -, e numa fase posterior, à localidade de Silvares.

Joaquim Forte

Fonte: Jornal de Notícias -22-07-007

Rede de Trilhos do Concelho da Povoação, Açores, está concluída e tem uma extensao de 83,3 quilómetros

A Rede de Trilhos do Concelho da Povoação está concluída. O trilho da Povoação/Pico da Vara, cuja inauguração foi integrada nas comemorações dos 50 anos de elevação a freguesia de Na. Sra. dos Remédios, foi o último a ser oficialmente aberto e faz parte de um conjunto de 12 trilhos classificados que compõem uma das mais vastas redes de género do arquipélago dos Açores com 83.3 quilómetros.



As primeiras Grandes Rotas dos Açores.

A partir desta Rede surgiu a oportunidade de criar-se duas Grandes Rotas Pedestres, as primeiras dos Açores, em colaboração com as Câmaras Municipais do Nordeste e da Vila Franca do Campo, das Juntas de freguesia da Fazenda do Nordeste e da Ponta Garça e da Direcção Regional dos Recursos Florestais. Este trabalho já foi feito e encontra-se em fase de aprovação na Direcção Regional do Turismo. A primeira Grande Rota irá chamar-se de Vista do Mar e ligará os concelhos de Vila Franca, Povoação e do Nordeste pela zona litoral, com uma extensão de 51 quilómetros.

A segunda Grande Rota chamar-se-á Rota do Priôlo e irá constituir-se por um percurso circular interior e litoral que irá abranger as localidades da Povoação, Nossa Senhora dos Remédios, área do Pico da Vara, zonas da Fazenda, Vila e Pereira do Nordeste, Água Retorta e Faial da Terra, com uma extensão de 52 quilómetros.


O projecto da Rede de Trilhos do Concelho da Povoação foi iniciado há 3 anos e meio e verificou-se ser uma aposta acertada pelas mais-valias que trouxe e continua a trazer às comunidades abrangidas pelos trajectos tanto ao nível económico, como social e cultural. Com a conclusão desta Rede, a autarquia povoacense irá continuar a investir na manutenção e melhoramento dos seus percursos abertos, assim como na plantação de algumas endémicas ao longo dos trajectos.

Colaboraram coma Câmara Municipal da Povoação agradece à Direcção Regional do Turismo, ao Gabinete do Turismo Natureza em Espaço Rural, às várias Juntas dos Concelhos da Povoação, Vila Franca e Nordeste, à Delegação de Turismo de S. Miguel e ao projecto LIFE Priolo toda a colaboração prestada na execução do ambicioso projecto que é a Rede de Trilhos do Concelho da Povoação.

Fonte do texto e Imagem: Câmara Municipal de Povoação

Novo percurso pedestre (de pequena rota) em S. Martinho do Porto, concelho de Alcobaça


"Além da admirável Baía onde se pode desfrutar da tranquilidade do mar e da praia, São Martinho do Porto propõe agora uma sugestão diferente: um percurso pedestre delineado a partir da praia, seguindo pelas arribas da Gralha até à Serra dos Mangues e com regresso pelo centro histórico vila.

Trata-se de uma pequena rota circular que pode efectuar-se durante todo o ano. O ponto de partida e de chegada é na Praça Eng.º José Frederico Ulrich, com uma extensão aproximada de 8,5 Km. O tempo de duração previsto para a sua realização é de 2h30 e o trilho proposto inclui caminhos de terra batida, caminhos de pé posto e alguns metros de alcatrão.

Este percurso, promovido pela Câmara Municipal de Alcobaça e pela Junta de Freguesia de São Martinho do Porto, é apresentado num folheto desdobrável de distribuição gratuita ao público, onde se assinalam os vários pontos de interesse, a fauna e flora existentes que podem ser observavas durante o percurso e outras informações úteis.
O folheto pode encontrar-se nos Postos de Turismo."

Fonte: Região de Turismo de Leiria - 20-7-007

Percurso PR7 – “Nas Escarpas da Mizarela”, dia 22 de Julho, na Serra da Freita contou com cerca de uma centena de participantes.

No passado Domingo, dia 22 de Julho, a Câmara Municipal de Arouca promoveu a realização de mais um percurso pedestre na Serra da Freita, o designado PR7 – “Nas Escarpas da Mizarela”, agora reformulado. O percurso teve início junto ao Parque de Campismo do Merujal, pelas 9 horas e contou com a participação de cerca de uma centena de pedestrianistas, oriundos de diversos pontos do país.

Clicar para ampliar

O trajecto circular, desenvolveu-se através de caminhos tradicionais de pé posto e de passagens delicadas, com descidas e subidas escarpadas, pouco aconselháveis a quem sofra de vertigens.

Foi feita uma primeira paragem no Miradouro da Frecha da Mizarela, que proporcionou o contacto directo com uma paisagem de rara beleza. Desceu-se pela encosta baixo até à aldeia da Ribeira, onde se realizou uma segunda paragem para apreciar o já habitual “mata-bicho”: broa, mel e bebidas.

Clicar para ampliar

Após a travessia da ponte sobre o rio Caima, a marcha continuou num trilho sinuoso ao longo da margem da Ribeira da Castanheira, passando depois pela recentemente inaugurada Parede de Escalada dos Cabaços. Atravessou-se a aldeia da Mizarela rumo ao Parque de Campismo do Merujal.

Clicar para ampliar

Apesar do elevado nível de dificuldade deste percurso, no final, todos os participantes se mostraram satisfeitos com a caminhada e com o almoço convívio servido no Parque de Campismo do Merujal.

Clicar para ampliar


Clicar para ampliar


Ver Slideshow de Fotos

Fonte do texto: Câmara Municipal de Arouca.
As fotos acima são da minha autoria.



Fonte das 2 fotos seguintes : Câmara Municipal de Arouca.


Passeio Pedestre "Nas Frescas Terras das Monjas de Cister", em Coz, concelho de Alcobaça, dia 29 de Julho


Passeio Pedestre "Nas Frescas Terras das Monjas de Cister"


Coz, concelho de Alcobaça

Dia 29 de Julho

Clicar para ampliar


Fonte:
Câmara Municipal de Alcobaça


Passeio Nocturno N. Srª. de Machede, Évora, dia 28 de Julho

O Grupo de Caminheiros de Évora convida todos os interessados, a fazer um Passeio Nocturno, dia 28 de Julho, através dos campos Alentejanos e ao chegar a Évora apreciar a melhor perspectiva nocturna da nossa cidade.

Programa:
20.00 h – Concentração Junto ao Campo de futebol do Sport Lisboa e Évora.
20.30 h – Transporte para N. Srª. de Machede
21.00 h – Junta de Freguesia de N. Sr.ª de Machede refeição ligeira
22.00 h – Inicio da caminhada
00.30h – Chegada prevista Évora.


Clicar para ampliar


Grau de dificuldade – médio
Tipo e Percurso – terra batida
Seguro de participação – Incluído
Acessórios aconselhados: roupa leve e lanterna

Inscrições :
Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Saúde
Contactos: 914737330 – 963276860


Condições de participação

- Sócios do Clube de campismo de Évora - gratuito (com as cotas em dia)
- N/ Sócios - 2 €
- Crianças até 12 anos – gratuito (acompanhadas por um adulto)
- Só são consideradas as inscrições pagas no acto da mesma

Tendo em vista a necessidade de garantir o meio de transporte a data limite das inscrições é 25-07-2007.


Fonte do texto e imagem: Grupo de Caminheiro de Évora

Passeio Pedestre José Régio, em Portalegre, dia 29 de Julho


Passeio Pedestre José Régio - Portalegre

29 de Julho de 2007


Nível de dificuldade: fácil
Distância: 7 Km
Concentração: 9 horas na Casa do Poeta José Régio com visita
Organização: Câmara Municipal de Portalegre - Agita Portalegre

terça-feira, julho 24, 2007

Caminhada Histórica às Minas dos Carris - 18 de Agosto


Caminhada Histórica às Minas dos Carris - 18 de Agosto

"A pedido de vários leitores do blogue Carris, reconsiderei a decisão tomada há umas semanas atrás e decidi organizar uma Caminhada Histórica às Minas dos Carris.
Esta será uma caminhada única, não pretendendo organizar mais caminhadas deste tipo pelas razões que já anteriormente apontei e que estão relacionadas com os entraves colocados pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês à organização deste tipo de eventos.

Assim, esta Caminhada Histórica às Minas dos Carris deverá ter lugar a 18 de Agosto (Sábado). A Caminhada Histórica às Minas dos Carris tem como objectivo dar a conhecer aquele canto singular do Parque Nacional da Peneda-Gerês e divulgar um pouco da História daquele complexo mineiro.

A participação nesta caminhada não tem qualquer custo de inscrição mas o número de pessoas a incluir no grupo tem de ser necessariamente limitado. Quem desejar participar ou obter mais informações deverá enviar um e-mail para rcb@netcabo.pt.

A proposta que é feita é a de juntar um grupo de pessoas que estejam interessadas em caminhar o Vale do Alto Homem e percorrer as ruínas do antigo complexo mineiro de Carris e das Sombras. Como ponto extra poderemos adicionar uma ida ao ponto mais alto da Serra do Gerês, o Pico da Nevosa, caso haja tempo para tal."


O Programa proposto é o seguinte:
7.00 - Concentração em Braga em frente à Bracalândia.
7.15 - Saída em direcção às Caldas do Gerês.
8.00 - Pequeno-almoço nas Caldas do Gerês (Café Ramalhão).
8.30 - Saída em direcção à Portela do Homem.
9.00 - Início da caminhada até às Minas dos Carris.
12.30 - Chegada às Minas dos Carris. Almoço. Visita às ruínas das Minas dos Carris.
16.00 - Regresso à Portela do Homem pelas Minas das Sombras.
20.30 - Regresso a Braga.


Fonte do texto e imagem: Blogue Carris [Rui Barbosa]

45ª Caminhada AFIS, por terras de Ovar, dia 5 de Agosto

Até ao PR1… e mais além!

"Num Verão que teima em “brincar às escondidas”, a Secção de Pedestrianismo do Clube AFIS Ovar leva a efeito mais uma Caminhada regular, como habitualmente no primeiro domingo de cada mês.

Será já no próximo dia 5 de Agosto e terá como objectivo a Praia do Furadouro, numa distância aproximada de 11 km. O percurso, circular, far-se-á pela floresta, atravessará um troço significativo do recém-inaugurado PR1 “Trilho da Floresta”, seguirá pelo “Trilho das Árvores Marrecas” e o regresso será pelas Avenidas do Emigrante e da Régua.

O Alto do Saboga (junto ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Ovar) será o ponto de encontro e a Caminhada terá o seu início pelas 8h30. Traga roupa e calçado adequado, não se esqueça dum chapéu e duma boa camada de protector solar e junte-se ao grupo. Os AFIS oferecem a indispensável garrafa de água.

Anote já na sua agenda e venha connosco, “por Ovar…a Caminhar!”. Mais informações através do 969 531 844."


Fonte: Caminheiros AFIS - Ovar

Percursos “Comboio e Natureza” promovidos pela CP, em parceria com a LPN, pretendem fomentar a práctica do pedestrianismo em Portugal.


Os percursos “Comboio e Natureza” promovidos pela CP (Comboios de Portugal) têm como objectivos: incentivar a descoberta das áreas naturais de Portugal como espaços privilegiados para o turismo de natureza, utilizando o comboio como meio de transporte; sensibilizar o público para os impactos da prática do turismo, fomentando a adopção de comportamentos ambientalmente sustentáveis, nomeadamente através do uso da bicicleta e dos percursos pedestres como meios de descoberta das áreas naturais.

Este projecto resulta de um protocolo existente entre a CP e a LPN.

Foram concebidos três percursos:
  • Da linha do Douro ao Parque Natural do Douro Internacional
  • Entre o Mar e a Terra: de comboio a caminho do Sado
  • Da Linha do Sul às Planícies de Castro Verde

O percurso "Da Linha do Douro ao Parque Natural do Douro Internacional” consiste na ligação em rede da Linha do Douro a três percursos pedestres no Parque Natural do Douro Internacional (PNDI), através de um circuito para bicicleta. No mapa apresenta-se um conjunto de informações, trajectos e pontos de interesse. O percurso não pretende ser rígido, podendo ser realizado em várias etapas e alternativas numa lógica de “intra-rail”. É um convite para uma viagem, certamente inesquecível, pela região de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Folheto ( face exterior - face interior )


O percurso “Entre o Mar e a Terra: de comboio a caminho do Sado” consiste na ligação em rede entre estações de caminhos-de-ferro (Setúbal e Alcácer do Sal) e cinco percursos pedestres existentes na Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES), através de dois circuitos alternativos para bicicleta.
Folheto ( face exterior - face interior )


O percurso "Da Linha do Sul às Planícies de Castro Verde" decorre no Baixo Alentejo, região cerealífera por excelência. Permite observar um mosaico espacial e temporal de campos de cereal, pousios, restolhos e campos lavrados (alqueives).
Folheto ( face exterior - face interior )



Fonte: CP (Comboios de Portugal)

segunda-feira, julho 23, 2007

"Marcha Monsant´Andar", 28 de Julho, no Parque Florestal do Monsanto, em Lisboa, organizada pela FCMP


A FCMP irá organizar a "Marcha Monsant´Andar", em 28 de Julho, no Parque Florestal do Monsanto, em Lisboa.

As inscrições nesta caminhada são gratuitas para os portadores da Carta de Montanheiro. Aqueles que não possuem este documento, terão de pagar uma taxa de 3,50 Euros para subscrever o seguro obrigatório.

Para efectuar a inscrição, clicar aqui para obter a ficha e enviá-lar até ao dia 26 de Julho para o seguinte endereço electrónico pedestrianismo@fcmportugal.com ou para o fax 218126918.

Ponto de encontro: Parque da Serafina (junto da parede de escalada)

Inicio da actividade: 09:30h
Fim da actividade: +12:30h


Fonte: Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal

domingo, julho 22, 2007

Passeio pedestre nas margens do Rio Cávado, dia 28 de Julho, organizado pela Câmara Municipal de Barcelos e os "Amigos da Montanha"

A Câmara Municipal de Barcelos, através do seu Pelouro do Turismo e os Amigos da Montanha, organizam no próximo dia 28 de Julho um passeio pedestre nas margens do Rio Cávado.


Saída às 8:30 horas (Posto de Turismo – Barcelos)
Chegada: 13:00 horas


Inscrições :
- As inscrições são gratuitas e limitadas, e devem ser feitas até à quarta-feira anterior, dia 25 de Julho.

Contactos:
Dir. Geral Pedestrianismo, José Manuel Costa, tlm 939 048 933
pedestrianismo@amigosdamontanha.com


Fonte: Amigos da Montanha

III Passeio nocturno na Cumeada de Alta Mora, concelho de Castro Marim, dia 27 de Julho, organizado pela ARCDAA


A ARCDAA –Associação Recreativa, Cultural e Desportiva dos Amigos de Alta Mora organiza, no próximo dia 27 de Julho, o 3º passeio nocturno na Cumeada de Alta Mora, concelho de Castro Marim.

A data escolhida encontra-se muito próxima da fase de Lua cheia, pelo que a caminhada será iluminada por um magnífico luar, que proporcionará aos participantes momentos de descontracção e lazer. Com um total de aproximadamente 8 km, o percurso irá percorrer os vales e montes da Cumeada de Alta e as margens da ribeira, passando também por algumas povoações locais.

Clicar para ampliar

A observação de alguma fauna nocturna e dos astros são algumas das actividades do passeio. Para além disso, o passeio terá algumas brincadeiras divertidas e “fantasmagóricas”...

Concentração dos participantes pelas 21:30 h e sa
ída prevista para as 21:45 horas, da sede da Associação (na antiga escola primária da povoação de Alta Mora).


Para obter mais informações/inscrições:
Associação Recreativa, Cultural e Desportiva dos Amigos de Alta Mora - ARCDAA
Tel. 965284657
E-mail: arcdaa@sapo.pt
http://www.arcdaa.com/

A inscrição é de 6 € por participante e inclui seguro, carro de apoio e merenda a meio de percurso



Fonte:
ARCDAA –Associação Recreativa, Cultural e Desportiva dos Amigos de Alta Mora

Trilho do Mezio - Ribeiro da Vilela, no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Na fronteira do Parque Nacional da Peneda-Gerês encontramos o Mezio. A visita propõe um conjunto de paisagens características da montanha, com o casario concentrado a dominar os campos cultivados em socalcos.

O percurso inicia-se na Portela do Mezio onde podemos encontrar uma mamoa, monumento megalítico integrante das "Antas do Soajo", edificadas há cerca de 5000 anos. A sudoeste, o monte do Gião com 800 metros de altitude, alberga um conjunto de gravuras rupestres.

Seguindo por entre bosques de bétulas e pinheiros, chegamos a Vilela das Lajes. A sua escola primária, hoje desactivada, evoca tempos passados, em que os jovens ainda habitavam os meios rurais. Retomando o caminho até às margens da Ribeira de Vilela deparamo-nos com uma zona de belíssimos carvalhais que convidam a uma pausa. A travessia do curso de água efectua-se por um antigo pontão granítico. O local, de uma tranquilidade e beleza dignas de nota, destaca-se pela limpidez das águas e a vegetação ribeirinha.

Visitado o ribeiro, a deslocação faz-se por entre campos de cultivo e cortes de gado. A próxima paragem é um conjunto de cortelhos do lugar de Bostelinhos. Os prados e lameiros, designados localmente por poulos, produzem erva e feno para o gado. Com uma altura de dois pisos, os cortelhos abrigam os animais e funcionam como arrecadação para fenos, alfaias e instrumentos de trabalho.

O percurso é agora ao longo de socalcos. Atravessando novamente a Ribeira de Vilela chegamos aos campos de cultivo de Vilela das Lajes. A aldeia apresenta um interessante conjunto de espigueiros, parcialmente abandonados. No entanto, a paisagem é dominada pela verdura dos prados e pastagens.

Por entre os campos e as moradias descemos até ao ribeiro que separa as povoações de Vilela das Lajes e Boimo. É nesta que se situa a Capela de Nª Srª da Boa Morte, de grande brancura e graciosidade. Embora modesta, a presença da vinha é aqui bem vincada na bordadura dos campos.

No regresso, atravessa-se outro ribeiro. Numa zona de trilho pouco nítido, seguimos pela direita e atingimos o Mezio.



Como chegar
Tomando a EN202, segue-se a indicação para o Parque Nacional da Peneda-Gerês. A cerca de 2 km de Arcos de Valdevez, vira-se à direita no entroncamento sinalizado para o Soajo (Mezio).
Estacionamento disponível para ligeiros e pesados de passageiros na área do Mezio.



Tipo de percurso: Pequena rota; Circuito Fechado.
Âmbito: Ecológico e Cultural.
Distância do percurso : 9530 metros.
Duração aproximada: 6 horas e 30 minutos.
Grau de dificuldade : Moderado e Difícil


Fonte: Jornal de Notícias - 18-7-007

quinta-feira, julho 19, 2007

II edição da Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente: maior evento anual da Pen. Ibérica sobre Ambiente e Conservação da Natureza, em Olhão


"Ambiente, biodiversidade, desenvolvimento sustentável, alterações climáticas. Esta é a linguagem comum a todos os participantes na II edição da Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente que decorre em Olhão, de 26 a 29 de Julho. No mesmo espaço, vão estar todas as áreas protegidas do país, parques naturais nacionais e estrangeiros e organizações de defesa do ambiente e conservação da natureza. Um evento único em toda a Península Ibérica, organizado pela Câmara Municipal de Olhão e que se insere nas comemorações do Dia Nacional da Conservação da Natureza.


Clicar para ampliar


A ideia foi posta em prática em 2006 e teve uma receptividade tão forte que o Município de Olhão, em associação com o Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade, decidiu avançar para a II edição.

A Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente é um fórum que reúne entidades, associações e diversas instituições ligadas às questões do ambiente e ao desenvolvimento sustentável. Durante 4 dias, todos estarão reunidos no mesmo espaço para apresentar projectos ambientais, produtos e serviços desenvolvidos pelas áreas protegidas, actividades económicas ligadas ao ambiente e à conservação da natureza.

A Feira realiza-se no Jardim Pescador Olhanense e oferece, este ano, um maior número de expositores, com grande variedade de produtos e actividades. Desde a Mostra de Produtos Biológicos, que permite não só ver como também proar estes alimentos naturais, passando pelos produtos regionais, ao artesanato, agroturismo, associações regionais, Universidades e ONG ligadas ao ambiente, há um mundo imenso para descobrir no recinto.

As alterações climáticas estão na agenda politica mundial e são um dos temas em destaque na II Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente. O impacto destas alterações no ambiente e na gestão das áreas protegidas e ainda as políticas internacionais para combater este fenómeno serão questões em debate no Seminário do Algarve, uma conferência que promete reunir individualidades e investigadores reconhecidos nestas temáticas. Este debate realiza-se dia 27, no auditório do Centro de Educação Ambiental de Marim, na sede do Parque Natural da Ria Formosa, a partir das 09h00.

Clicar para ampliar


A exposição DESIGNFORFUTURE 07 - Reciclagem do Sentido, propõe-se explorar a relação com o mundo através dos objectos, muito para além do seu estatuto material, para além do seu valor intrínseco enquanto recurso e ligado ao seu valor simbólico.

O artesanato será uma das áreas mais surpreendentes deste evento, com uma exposição intitulada "Desenhar a Tradição". Das olarias de S. Pedro do Corval, chega a Olhão o resultado de um conjunto de experiências de inovação, em que se comprova que a tradição pode continuar viva sob formas modernas e arrojadas. Finalmente, os mais novos têm um lugar especial neste Feira sobre ambiente. Um workshop de reciclagem desafia-os a construir eco brinquedos, exclusivamente com materiais recicláveis.

A inauguração da Feira decorre dia 26 de Julho, pelas 18 horas e a entrada é livre."


Portal digital da Feira

Fonte do texto e imagem: Câmara Municipal de Olhão

Caminhada Nocturna em Casegas, Covilhã, dia 28 de Julho


Caminhada Nocturna em Casegas, Covilhã,

Data:
28 de Julho
Concentração: 18h00 Lameira da Ribeira
Organização: Casa do Povo de Casegas - Covilhã.



Clicar para ampliar


Fonte: Casa do Povo de Casegas

quarta-feira, julho 18, 2007

Inauguração do 1º Percurso Pedestre do concelho de Oliveira de Azeméis, em Palmaz, contou com mais de 150 participantes


"Vilarinho de S. Luís, aldeia pacata da freguesia de Palmaz, recebeu os mais de 150 caminheiros que participaram no acto inaugural do Percurso dos Espigueiros, com uma tarde de sol magnífica.

Os cerca de 50 afáveis habitantes estavam algo deslumbrados com a quantidade de pessoas que vieram ver, de uma só vez, a sua aldeia e os seus espigueiros, que de um momento para o outro a população triplicou, mesmo que temporariamente, e era agora o centro das atenções. A responsabilidade de tal deve-se a um grupo de amigos, de Cucujães e não só, que em torno de um projecto designado por ANDAR (www.andar.cc) tem vindo à cerca de um ano a dinamizar e realizar caminhadas pela zona Norte e Centro de Portugal. Do seu programa apresentado em 16 de Setembro de 2006, consta actividades de pedestrianismo e passeios de BTT, bem como também tem colaborado com outros grupos e associações na realização das actividades indicadas e manobras de cordas.


Estando previsto no programa para o dia 14 de Julho de 2007 um percurso na aldeia de Vilarinho de S. Luís; não existindo percursos marcados e sinalizados no Município; e iria ser elaborado o folheto informativo e explicativo (a exemplo de outros já efectuados), que vem coordenando o grupo, lançou um desafio internamente a alguns elementos e a Paulo CostaJunta de Freguesia de Palmaz no passado dia 2 de Junho, no sentido de marcar e sinalizar o percurso de acordo com as normas nacionais e internacionais (Declaração de Bachyne) com vista à criação de uma instalação desportiva de base recreativa, conforme está definida na legislação portuguesa às instalações desportivas com carácter informal no âmbito das práticas recreativas, de manutenção e lazer activo, como é o caso dos percursos de caminhadas.

Clicar para ampliar

Dinamizada a equipa e o projecto aceite pela Junta de Freguesia, apesar de todas as dificuldades, deu-se início a um árduo trabalho efectuado em horário pós-laboral, que só a boa vontade, disponibilidade e entrega de todos os envolvidos fez chegar a bom porto tal iniciativa, num tempo “record”. Aqui confessa (Paulo Costa) “que algumas lágrimas de alegria rolaram pelo meu rosto no dia 11/07 quando a minutos de concluirmos o trabalho com a colocação do painel informativo, percorria sozinho o percurso e já fazendo uma avaliação do projecto, desembocava invariavelmente no quanto foi gratificante o companheirismo demonstrado por todos aqueles que colocaram este projecto de pé”.

O Percurso dos Espigueiros, é o primeiro e espera esta equipa que seja o “clic” ou a mola impulsionadora para a criação de mais alguns percursos pedestres no município, onde muitas vezes, parece que nada acontece. Que a autarquia esteja atenta e seja mais interveniente, acarinhando este e outros patrimónios que aqui e ali vão definhando. Gente anónima deixou aqui marcas, “para que outros possam também ver aquilo que nós vimos e sentimos, quando viemos aqui pela 10º vez”.

Clicar para ampliar

Este percurso pedestre é de interesse ambiental e etnográfico, desenrola-se dentro da aldeia de Vilarinho de S. Luís, na área agrícola e florestal circundante. A aldeia caracteriza-se por traços de ruralidade, por uma agricultura de subsistência em torno do milho, da vinha e dos recursos florestais. Tem nos seus muitos espigueiros os objectos “eruditos”, a que o percurso pretende dar a conhecer um pouco. Mais informações e dados técnicos poderão ser consultados e descarregados, brevemente, na pagina da Junta de Freguesia de Palmaz ou do Andar.

A caminhada terminou num convívio entre os participantes (forasteiros e moradores) em torno de deliciosa broa de milho oferecida por um neto da terra, presunto e uma pinga de vinho verde servida em malga de barro oferecido por um filho da terra, a que se juntou um deliciosos bolos confeccionados por alguns moradores. É esta a cultura que nos diferencia dos demais."

Clicar para ampliar



Folheto PR1
(clicar para ampliar)



Fonte do texto e imagens : grupo Andar (recebido via email)

Passeio Pedestre em Achada, concelho de Mafra, dia 4 de Agosto

Passeio Pedestre em Achada, concelho de Mafra

Dia 4 de Agosto de 2007


Programa:
8:30h – Abertura da Secretaria
9:00h – Encerramento da Secretaria
9:00h – Partida

Grau de Dificuldade: Médio
Distância: 13 km’s ou 20 km’s

Clicar para ampliar


Inserido nos Tradicionais Festejos em honra de S. João de Deus
Apoio: Câmara Municipal de Mafra

Contactos para Pré-inscrições:
E-mail: 919004770@vodafone.pt
914697697 / 969152013 (Hugo Catarino)
917775806 (Rui Fiúza)


(informação recebida por email)

Caminhada no reformulado PR7 "Nas Escarpas da Mizarela", a 22 de Julho, numa organização da Câmara Municipal de Arouca


Terá lugar a 22 de Julho (Domingo) mais um percurso pedestre, promovido pela Câmara Municipal de Arouca. O PR7, "Nas Escarpas da Mizarela", é já bem conhecido por muitos pedestrianistas, mas, após uma intervenção para corrigir alguns problemas originados pelo incêndio de 2005, é agora lançado com uma importante reformulação.

Passará por novos caminhos, que atravessam paisagens de grande beleza. O Percurso passou do tipo linear a circular e estende-se agora por cerca de 8 km.

O percurso inicia-se no parque de lazer fronteiro ao parque de campismo do Merujal, através de um caminho que se dirige à aldeia da Mizarela. Chegando a esta aldeia, passa-se pelo miradouro e prossegue-se descendo pela estrada de acesso à aldeia da Ribeira. 300 metros abaixo do miradouro, vira-se à esquerda, por um carreiro, entre um carvalhal, com vista soberba sobre a Frecha da Mizarela.

Seguindo este carreiro, toca-se mais a baixo, numa curva, a referida estrada de acesso à aldeia da Ribeira que, logo de seguida, se deixa para continuar por outro carreiro, que desce abruptamente por entre escarpas com a bela cascata da ribeira da Castanheira, do lado de lá, em escadaria.

Chegando ao ponto de confluência desta com o rio Caima, o caminho torna-se suave e, pela margem esquerda do rio rapidamente se chega à aldeia da Ribeira. Esta aldeia, é constituída por um pequeno aglomerado de casas onde, ainda, resistem dois moradores que vão amanhando os pequenos campos, suportados por socalcos que dão à paisagem um cunho humanizado de singular beleza.

Passada a aldeia, atravessa-se o rio num pequeno pontão – aconselha-se a passar somente duas pessoas de cada vez – rumando-se à esquerda por um trilho que, subindo ao longo da margem direita do rio, chega à ribeira da Castanheira, acompanhando-a. Transposta esta, atinge-se a crista da escarpa leste e rapidamente se chega à ribeira dos Cabaços e à escola de escalada.

Após a passagem de um colo toca-se o PR15, já junto à estrada de asfalto, que se toma à esquerda, chegando-se à aldeia da Mizarela. Aqui retoma-se o caminho do parque de merendas e do parque de campismo, onde se iniciou.



As inscrições, que decorrem de 17 a 20 de Julho, podem ser feitas na Câmara Municipal ou no Posto de Turismo de Arouca, pelos telefones 256 940 220 ou 256 943 575, ou ainda via e-mail, para otilia.vilar@cm-arouca.pt


Fonte do texto e imagem: Câmara Municipal de Arouca

(foi-me informado pelo Dar à Sola)

diz-se que será a zona mais ´selvagem' da Ibéria

[fotos de uma das sequências (pica d´estats, montcalm, verdaguer) -
lá de cima os lagos até parecem pequenos ;-
) ]

quinta-feira, julho 12, 2007

Percurso Pedestre "Pelos vales da Bajouca" dia 21 de Julho, organizado pelo NEL - Núcleo de Espeleologia de Leiria, no concelho de Leiria.


No Sábado, dia 21 de Julho o NEL - Núcleo de Espeleologia de Leiria organiza o percurso pedestre "Pelos vales da Bajouca".

Clicar para ampliar


Local de partida e de chegada: Igreja St.º Agostinho
Hora de saída: 08.30
Hora de Chegada (prevista): 13.30
Dificuldade: Baixa (Distância: 9Km
Desnível altimétrico: 65 metros)

Recomenda-se o uso de roupa e calçado adequados a esforço físico, assim como o uso de protectores solares eficazes: Chapéu/boné, óculos de Sol ou protecção equivalente e protector solar para a pele. Sugere-se ainda que os participantes levem consigo água potável e comida para refeição ligeira.

Por motivos alheios à organização do NEL, não haverá autocarro para os participantes, sendo gerido o transporte de acordo com os participantes inscritos.

Inscrições e informações:
Núcleo de Espeleologia de Leira
Centro Associativo Municipal – Sala 04
24000-22 Leiria
Tel./Fax: 244814971
TM: 964 122 144 (Pedro Ferreira)
E-mail: nel.leiria@gmail.com


Fonte: NEL - Núcleo de Espeleologia de Leiria

4ª "Caminhada pelo Interior" - Caminhada Nocturna, em Sabugal, dia 27 de Julho. Organização da Câmara Municipal do Sabugal

4ª "Caminhada pelo Interior" - Caminhada Nocturna

27 de Julho de 2007

Sabugal


Organização: Câmara Municipal do Sabugal



Clicar para ampliar


Esta 4ª Caminhada visa fomentar o convívio entre os participantes e, ao mesmo tempo, dar a conhecer a cultura e história de um concelho que certamente não passará despercebido aos olhos dos mais curiosos.`



Programa:

20h00: Concentração no Largo dos Fóios (Junto ao Centro Cívico), com Porto de Honra oferecido pela Junta de Freguesia dos Fóios.
21h00: Ínicio a Caminhada.
O Final da Caminhada será em Navasfrias (Espanha), onde haverá um convívio.


Inscrições e informações:
Câmara Municipal do Sabugal
Tel. 271 751 040
TM 961 889 266


Fonte do texto e cartaz: Câmara Municipal do Sabugal



Mais informações sobre as "Caminhada pelo Interior", em Sabugal