terça-feira, setembro 26, 2006

Paragem (pelo menos) até ao próximo Verão.

Por manifesta falta de tempo este blogue não será mais actualizado (pelo menos) até ao próximo Verão.
O meu agradecimento a todos os que por aqui passaram.

Contudo, se alguém pretender continuar a actualizá-lo (para bem do pedestrianismo luso), ajuizarei (muito bem) o seu propósito e poderá ser legado de modo definitivo.

--------

Cada vez mais ajuízo que as pessoas que mais usufruem da verdadeira natureza/espaços naturais são aquelas que em pequenos grupos (2, 3 ou 4) partem, quase de improviso, sem grandes planos, sem regras (com o mínimo de segurança claro) para sentir as marcas da natureza e não com o intuito de deixar nela as suas marcas. Sinceramente considero que cada vez mais se caminha para uma desmesura, no fruir lúdico da natureza, de tentar reproduzir nela os modelos das comunidade humanas. De impor um normativo, artificiar a natureza à imagem do Homem. Se bem que em certas áreas (média e alta montanha, grandes florestas, desertos,…) seja imprescindível uma marcada rigidez sobretudo para segurança do próprio grupo, fora desses espaços disso é, na generalidade, deveras indispensável (contudo reitero que em alguns casos é essencial). Não se pode usufruir em pleno da natureza (mais uma vez com excepção de certas áreas particulares) com regras, hierarquias, horários, roteiros +- rígidos, obrigações, que reproduzem, no essencial, o “Homo Urbanus”. Pensar o contrário é utópico, mesmo demagógico.
Se o móbil for apenas divisar um cenário diferente bastará projectar uma tela por detrás dele (grupo) por uns minutos, horas e todos ficam satisfeitos.
Estar na natureza é sobretudo ser natural e o Homem foi feito para ser conscientemente livre, com uma equidade em correlativo desenvolvimento, e um fraterno e abnegado respeito mútuo.

Mas compreendo que certas pessoas estejam tão apegadas ao “Homo Urbanus” que não consigam deixar de o (querer) reproduzir na Natureza. De querer desapertar por uns tempos o colete de forças do rigor e etiqueta social. Para outros a natureza é um mero investimento onde só interessa os dividendos, (folhas de) louros que dela colhem. Mas como nada nela pouco ou nada plantam, a colheita um dia exaurirá.

Por mim pretendo apenas sentir a Natureza. É que a Natureza já sentiu demasiado a acção do Homem durante milhões de anos. E sentir a natureza é (tentar) sobretudo vê-la através dos seus olhos e não dos nossos. E só isto já se afigura um fascinante desafio.

Mas muitos regimentos/colunas de walkers continuarão a marchar pelo campo, bem adestrados à imagem do “Homo Urbanus”. Já os outros seguirão por onde quiserem, como quiserem, quando quiserem, e se quiserem…

6 comentários:

Joao Marques de Pinho disse...

Caro Fernando

Em primeiro um Ola de caminhante
Agradecendo em nome de todos os que gostam de uma boa caminhada por esses campos e montes pelo blog q fez.
So hoje dia 27 de setembro descobri este sitio, tudo a proposito de um estudo sobre pedestrianismo que estou de momento a fazer junto do Icep-Portugal na delegaçao de Haia, e logo na altura em que vai fazer uma pausa...
Enfim coisas da vida

de qualquer forma tem o meu apoio disponibilizando me, na medida do possivel, para qualquer futura colaboração.~

Ate breve

Joao Marques de Pinho
joao.pinho@networkcontacto.com

Fernando_Vilarinho disse...

obg pela suas palavras de apreço a este blogue.

No momento não estava a pensar em colaborações pois n tenho tempo pra eu tb o editar, estva mesmo a pensar passar o testemunho.

boa semana,

Fernando_Vilarinho disse...

alguém que :
- domine bem a técnica de blogues
- siga +- a linha editorial do blogue.
- o actualize com alguma regularidade e com posts com (relativa) qualidade.
- goste e realize caminhadas com alguma frequência.

até pode ser + que 1.

Francisco Vasco disse...

Carissimo Fernando,

os meus sinceros agradecimentos por este fantastico blog que so agora descobri. É um espaço que faz falta na net, para todos aqueles que como eu amam a natureza, a respeitam e a buscam sempre que podem. A quantidade de informacao que aqui disponibilizou é louvavel e sera certamente de muita utilidade para mim. Creio que sou ainda muito novato nas caminhadas, para poder sozinho dar a continuacao que pretende para este site, mas quem sabe nao aparece alguem mais experiente com quem eu possa colaborar.

um abraço
Francisco Vasco

email: franciscogomesvasco@hotmail.com
MSN Messenger: franciscogomesvasco@hotmail.com

beijokense disse...

Olá Fernando,

eu até preencho alguns requisitos :) mas tb sofro de «manifesta falta de tempo». Até para caminhadas :(
Vou passando... pode ser que encontre novidades.

vazcosta disse...

Olá.Já à algum tempo que consulto frequentemente este Blog, não só pela informação que contém,mas também como forma de viajar, em alturas que não o podemos fazer de outro modo.Até à data nunca fiz nenhum comentário,mas depois de ler o seu "ultimo post",não posso deixar de dizer o seguinte:
1-Espero que continue sempre que possa, a actualizar o seu Blog,eu sofro do mesmo mal"falta de tempo",mas sem obrigação de vez em quando vamos lá...
2-Em relação à referência ás ordes de gentes que demandam esses campos como exércitos, também eu não entendo,mas penso que a lógica é a mesma de ir de férias todos juntos e para o mesmo lugar.
-"A Marcha dos Fortes"organizada pelo CAAL no dia 18/09 teve 284 participantes-.
Sem mais comentários.

Encontramo-nos por ai.
Saudações caminheiras.

Vazcosta